Projeto Ave Missões: Pesquisa, Educação Ambiental e Conservação com Aves da Região Noroeste do Rio Grande do Sul

terça-feira, 5 de janeiro de 2021

Lista Comentada das Aves de Santo Ângelo - 2020

* por Dante Andres Meller

O município de Santo Ângelo situa-se no noroeste do estado do Rio Grande do Sul, na Região das Missões, sendo popularmente denominado de a Capital das Missões. Possui área de 68.013 ha em seu território, inserida no limite sul do bioma Mata Atlântica, na região fitoecológica Floresta Estacional Decidual, onde a formação Aluvial corresponde às matas ciliares e a formação Submontana aos terrenos dissecados ao norte do rio Ijuí. Parte da área é caracterizada como Área de Tensão Ecológica, disposta numa transição entre as regiões fitoecológicas da Floresta Estacional Decidual e da Savana (Pastore e Rangel Filho 1986, Teixeira e Coura Neto 1986). Essa transição, no entanto, não constitui um ecótono e sim um encrave, pois a flora de cada região guarda sua identidade ecológica, sem misturar-se (Marchiori 2002). O contexto hidrográfico do município é bastante privilegiado, tendo grandes rios em sua área, dentre os quais o Ijuí representa o limite sul do município e o Comandaí, o norte.


Localização de Santo Ângelo, Missões, RS, Brasil. Números correspondem às principais localidades de observação de aves do Grupo Ave Missões: 1 – Cascata do Comandaí; 2 – Granja do Sossego; 3 – Cemitério Parque Jardim da Paz; 4 – Seminário Sagrada Família; 5 – Parque Natural Municipal; 6 – Rancho LM; 7 – Sítio Água Doce; 8 - Banhado do Santa Tereza; 9 - Mata da Buriti; 10 - Mata da Atafona.

Nessa atualização anual referente a 2020, o município de Santo Ângelo totalizou 310 espécies de aves em sua lista. A agregação desse resultado é referente a 11 anos de observações contínuas de integrantes do grupo Ave Missões, somadas aos esforços iniciais do ornitólogo William Belton, quem primeiro mencionou o município na literatura, e de outros observadores de aves que têm visitado o município recentemente e têm compartilhado seus registros sobretudo na plataforma Wikiaves. Em termos de riqueza, é um número bastante expressivo, representado mais de 40% das 704 espécies mencionadas para o estado do Rio Grande do Sul (Franz et al. 2018) e 15% das 1919 registradas no Brasil (Piacentini et al. 2015).


Belton (1994) indica, em seus mapas de distribuição, 146 espécies de aves para este município. Destas, somente 3 não foram vistas atualmente, sendo que, segundo o mesmo autor, essas teriam distribuição marginal ao município. Heliobletus contaminatus foi equivocadamente adicionada em Meller (2011) e, portanto, removida da lista. Um número bastante expressivo de 164 espécies adicionais à lista de Belton são acrescentadas para a avifauna de Santo Ângelo. A média de inclusões à lista do município, no site WikiAves, é de cerca de 13 ao ano, com um pico de adições nos anos de 2011 e 2012.


Curva cumulativa dos registros documentados no site WikiAves para o município de Santo Ângelo adicionais às inclusões de Belton (1994). Notar que 7 espécies adicionais à lista de Belton (1994) carecem de documentação no WA (ver texto abaixo).

As inclusões para o ano de 2020 são representadas por 9 espécies novas para o município, sendo todas elas documentadas por fotografias (socoí-amarelo, curicaca-real, maçarico-grande-de-perna-amarela, bico-reto-azul, bate-bico, amarelinho-do-junco, tricolino, andorinha-do-barranco e caboclinho-de-barriga-preta).

 
Socoí-amarelo (Ixobrychus involucris). Foto: P. B. Rodrigues.

Curicaca-real (Theresticus caerulescens). Foto: DAM.

À esquerda: maçarico-grande-de-perna-amarela (Tringa melanoleuca). Foto: A. Callegaro.

Bico-reto-azul (Heliomaster furcifer). Foto: A. C. Zorzan.

Bate-bico (Phleocryptes melanops). Foto: A. Callegaro.

Tricolino (Pseudocolopteryx sclateri). Foto: P. B. Rodrigues.

Amarelinho-do-junco (Pseudocoloptery flaviventris). Foto: P. B. Rodrigues.

Andorinha-do-barranco (Riparia riparia). Foto: P.B. Rodrigues.

Caboclinho-de-barriga-preta (Sporophila melanogaster). Foto: P. B. Rodrigues.

Importante também destacar que uma espécie (saíra-preciosa), previamente sem documentação, foi fotografada e outra (cais-cais), também sem documentação, foi gravada na área do município em 2020.

 Saíra-preciosa (Tangara preciosa). Foto: P. B. Rodrigues.


É interessante destacar que 10 (+1?) espécies com registro no município ainda não possuem documentação, sendo 3 (+1?) delas históricas mencionadas unicamente por Belton (1994). Outras 5 espécies, embora estejam documentadas, estão representadas apenas por gravação de voz.

Não documentadas com registro recente
Não documentadas com registro histórico
ema, Rhea americana
águia-serrana, Geranoaetus melanoleucus (?)
papa-lagarta-de-euler, Coccyzus euleri
falcão-caburé, Micrastur ruficollis
papagaio-charão, Amazona pretrei
noivinha-coroada, Xolmis coronatus
anambé-branco-de-rabo-preto, Tityra cayana
gralha-azul, Cyanocorax caeruleus
bentevizinho-de-penacho-vermelho, Myiozetetes similis

cambacica, Coereba flaveola
Documentação apenas por gravação de voz
caboclinho-de-papo-branco, Sporophila palustris
sanã-parda, Laterallus melanophaius

tuju, Lurocalis semitorquatus

falcão-relógio, Micrastur semitorquatus

tovaca-campainha, Chamaeza campanisona                              cais-cais, Euphonia chalybea

 

A principal razão pela surpreendente riqueza de espécies na área, deve-se ao fato da transição entre as florestas subtropicais e os campos sulinos, evidenciando-se na composição das espécies. Das muitas aves registradas, destacam-se aquelas em perigo de extinção, vulneráveis, quase ameaçadas ou com situação pouco conhecida em relação a seu status de conservação no Rio Grande do Sul. São elas:

Em perigo (EN)
Quase ameaçadas (NT)
gavião-pega-macaco, Spizaetus tyrannus
pato-do-mato, Cairina moschata
papa-moscas-canela, Polystictus pectoralis
coró-coró, Mesembrinis cayennensis
curió, Sporophila angolensis
gavião-gato, Leptodon cayanensis
patativa-tropeira, Sporophila beltoni
águia-serrana, Geranoaetus melanoleucus (?)
caboclinho-de-barriga-preta, Sporophila melanogaster
mocho-dos-banhados, Asio flammeus
                                                                                            Vulneráveis (VU)
araçari-castanho, Pteroglossus castanotis
gavião-cinza, Circus cinereus
tesoura-do-brejo, Gubernetes yetapa
peixe-frito-pavonino, Dromococcyx pavoninus
iraúna-grande, Molothrus oryzivorus
papagaio-charão, Amazona pretrei
caboclinho-de-chapéu-cinzento, Sporophila cinnamomea
marianinha-amarela, Capsiempis flaveola
coleiro-do-brejo, Sporophila collaris
veste-amarela, Xanthopsar flavus

caboclinho-branco, Sporophila pileata
Deficiente em Dados (DD)
caboclinho-de-barriga-vermelha, Sporophila hypoxantha
caracoleiro, Chondrohierax uncinatus
caboclinho-de-papo-branco, Sporophila palustris
beija-flor-de-bico-curvo, Polytmus guainumbi
caboclinho-de-papo-escuro, Sporophila ruficollis
papa-lagarta-de-euler, Coccyzus euleri

Muito embora tenha sofrido generalizada transformação na paisagem, através da agricultura de monoculturas, nos últimos 30 anos a situação mantém-se mais ou menos constante. As florestas parecem até apresentar uma leve recuperação, enquanto os campos foram quase que erradicadosNo quesito conservação, é importante a preservação das matas ciliares ao longo do rio Ijuí e dos banhados na porção nordeste do município, os quais abrigam espécies de interesse de conservação em território gaúcho.

____________________________________________________________________________________________________

Nomenclatura: Piacentini et al. (2015).
Ameaça de extinção no RS: FZB (2014).
(B) - Distribuição dada por Belton (1994) para Santo Ângelo e não registrada neste projeto.
* - Adicional em relação à distribuição de Belton (1994) para Santo Ângelo.
(?) - Registros ou informação não confirmada.
(Registro novo, Nova documentação) - Registrado ou publicado no WikiAves no ano de 2020.
(Sem documentacão) - Sem foto e gravação de voz publicada no site WikiAves.
(DAM) - Observação pessoal do autor.

Obs. Quando relevante, são adicionados comentários elucidativos sobre a ocorrência daquelas espécies que foram recentemente registradas no local, que carecem de documentação, que são naturalmente raras ou pouco comuns no município. Para muitas destas, são apresentadas fotos ilustrativas com suas legendas linkadas ao registro divulgado no site WikiAves.
____________________________________________________________________________________________________

(Abrir caixa de pesquisa: Ctrl + F)
Rheidae (1)
  • Rhea americana - ema (Sem documentação)
    • Apesar de ser incluída nos mapas de distribuição de Belton (1994), a ema só foi avistada uma única vez em anos recentes no município, no ano de 2009 (Meller 2017).

Tinamidae (4)
  • Crypturellus parvirostris - inambu-chororó
    • Apesar de Belton (1994) já ter incluído a distribuição da espécie para a área do município, existem poucos registros recentes na região noroeste, sendo para a área de Santo Ângelo mais conhecida da Granja do Sossego, onde teve sua voz gravada primeiramente em 2013 (WA952823). Em outubro de 2018 foi também ouvida no Distrito da Atafona (DAM). A espécie carecia de documentação fotográfica no município, até que recentemente foi fotografada na Granja do Sossego.
Inambu-chororó em Santo Ângelo. Foto: Paulo B. Rodrigues.

  • Crypturellus tataupa - inambu-chintã
  • Rhynchotus rufescens - perdiz*
    • Espécie incomum no município, onde já foi encontrada em algumas áreas campestres, mais especificamente na Granja do Sossego, onde restos de um ninho foram achados em dezembro de 2010 e a ave foi também ouvida e avistada diversas vezes em 2012, 2013 e 2015; vários destes registros foram compartilhados por Paulo B. Rodrigues. Também foi ouvida no Santuário de Schoenstatt, ainda em Santo Ângelo, em agosto de 2015 (Meller 2017). Em outubro de 2017 foi novamente avistada na Granja do Sossego em saída com o Grupo Ave Missões. Em setembro de 2018 a espécie foi também ouvido no Distrito da Atafona (DAM e A. Callegaro).
Perdiz na Granja do Sossego. Foto: DAM.
  • Nothura maculosa - codorna-amarela

Anhimidae (1)

  • Anhinga anhinga - tachã*
    • Um casal registrado recentemente no município, em banhados nos campos de barba-de-bode da Cascata do Comandaí, na companhia de A. Callegaro (DAM). Em setembro de 2018 a espécie foi também encontrada no Banahdo do Santa Tereza (DAM e A. Callegaro).
Tachã na Cascata do Comandaí. Foto: DAM.


Anatidae (6)
  • Dendrocygna viduata - irerê*
  • Cairina moschata - pato-do-mato* (Quase Ameaçada)
    • Espécie incomum no município, encontrada em três localidades até o momento. Foi registrada primeiramente, junto com P.B. Rodrigues, em fevereiro de 2012, na Granja do Sossego. Depois disso, foi avistada algumas vezes em 2014 e 2015 no Banhado do Santa Tereza (Meller 2017). Em outubro de 2017 foi avistada também na Cascata do Comandaí, junto com Alfieri Callegaro e Adelita Rauber (DAM).
  • Amazonetta brasiliensis - ananaí
  • Anas flavirostris - marreca-pardinha*
    • Espécie bastante incomum no município, com apenas dois registros. Foi encontrada em apenas uma localidade, na Cascata do Comandaí. Em setembro de 2015 um casal foi observado em uma lagoa temporária próximo à Cascata do Comandaí, sendo observada novamente nesse local com o Grupo Ave Missões no mês seguinte (Meller 2017). Foi novamente avistada em dezembro de 2017 em banhados nos campos da Cascata do Comandaí, junto com A. Callegaro (DAM).
Casal de marrecas-pardinhas na Cascata do Comandaí. Foto: DAM.


  • Anas georgica - marreca-parda*
    • Foi encontrada apenas uma vez, em 2010, em uma lagoa temporária próxima à Cascata do Comandaí, onde um grupo de cerca de oito aves foi avistado (Meller 2017).
Grupo de marrecas-pardas nas proximidades da Cascata do Comandaí. Foto: Patrícia Silva.

  • Nomonyx dominica - marreca-caucau*
    • O primeiro registro desta espécie foi de um macho e uma fêmea observados em um açude no Cemitério Parque Jardim da Paz, no ano de 2009 (Meller 2017). Em setembro de 2018, porém, A. Callegaro reencontrou a espécie no município, documentando sua ocorrência na região. A espécie foi encontrada em duas lagoas da Buriti, onde até três exemplares foram observados, e também no Banhado do Santa Tereza (DAM e A. Callegaro).

Cracidae (1)

  • Penelope obscura - jacuguaçu

Podicipedidae (2)
  • Podilymbus podiceps - mergulhão-caçador
  • Tachybaptus dominicus - mergulhão-pequeno*

Ciconiidae (2)
  • Ciconia maguari - maguari*
    • Um indivíduo foi observado nos campos do Comandaí no final de abril de 2019 por DAM e A. Callegaro. É a primeira vez que essa espécie, pouco comum na região noroeste, foi avistada no município.
Maguari nos campos da Cascata do Comandaí. Foto: DAM.


  • Mycteria americana - cabeça-seca*
    • O único registro confirmado desta espécie para o município é de um bando de mais de 150 aves que foi visto na localidade de Cristo Rei, em Santo Ângelo, em maio de 2015, observados por DAM e A. Callegaro (Meller 2017). Em maio de 2018, um bando grande foi visto em voo à distância nas proximidades do Parque Natural Municipal, se tratando provavelmente desta espécie (DAM).
Bando de cabeças-seca sobrevoando a área do município. Foto: DAM.


Phalacrocoracidae (1)
  • Nannopterum brasilianus - biguá*


Anhingidae (1)
  • Anhinga anhinga - biguatinga*
    • A espécie foi vista em Santo Ângelo em três ocasiões entre 2009 e 2010: no Cemitério Parque Jardim da Paz, em uma represa próximo à Granja do Sossego e em um sítio próximo ao Rio Ijuí, este último registro feito junto com o Grupo Ave Missões (Meller 2017). Mais recentemente, em 2017, foi avistada algumas vezes no Banhado do Santa Tereza e também no Sítio Água Doce (DAM).

Ardeidae (9)
  • Trigrisoma lineatum - socó-boi*
    • Em novembro de 2016 um indivíduo jovem foi fotografado por R.A. Peixoto (com. pess.) em um açude no sítio Água Doce, em Santo Ângelo; a fotografia foi encaminhada e confirmou a identificação da espécie (Meller 2017). Depois disso, em 2017, a espécie foi novamente encontrada neste local (foto abaixo) e também no Banhado do Santa Tereza (DAM).
Socó-boi no Sítio Água Doce. Foto: DAM.
  • Nycticorax nycticorax - socó-dorminhoco*
  • Butorides striata - socozinho*
  • Ixobrychus involucris - socoí-amarelo* (Registro novo)
    • Um indivíduo foi registrado primeiramente por P. B. Rodrigues em uma lagoa na Granja do Sossego em agosto de 2020, sendo reavistado por alguns dias seguidos a este primeiro encontro. Este foi o primeiro registro para a região, tendo a ave também sido fotografada logo a seguir no município de Santa Rosa. Já haviam registros para regiões próximos, como Cruz Alta e São Borja.
Socoí-amarelo na Granja do Sossego. Foto: P. B. Rodrigues.

  • Bubulcus ibis - garça-vaqueira*
  • Ardea cocoi - garça-moura*
    • Registrada primeiramente em julho de 2015, quando um exemplar foi fotografado em uma represa próximo à Granja do Sossego (Meller 2017, DAM). Depois disso foi avistada em dezembro de 2017 em banhados e açudes na Cascata do Comandaí, junto com A. Callegaro, P. Rodrigues, M. Koch e A. Rauber (DAM).
Garça-moura em represa próxima à Granja do Sossego. Foto: DAM.
  • Ardea alba - garça-branca
  • Syrigma sibilatrix - maria-faceira
  • Egretta thula - garça-branca-pequena*

Threskiornithidae (6)
  • Plegadis chihi - caraúna*
  • Mesembrinibis cayennensis - coró-coró* (Quase ameaçada)
    • Espécie incomum no município, com alguns registros recorrentes nas proximidades do rio Ijuí. Foi ouvida e avistada primeiramente em julho de 2010 sobrevoando o Sítio Água Doce, em Santo Ângelo, junto com o Grupo Ave Missões; foi também ouvida no Rancho LM em mais de uma oportunidade; recentemente a espécie foi fotografada neste município por Alfieri Callegaro (Meller 2017). Depois disso, foi também registrada nas proximidades do Parque Natural Municipal poe Adaltro C. Zorzan (foto abaixo). Nesse parque, foi também ouvida em 2017, além de ter sido novamente registrada no Sítio Água Doce e arredores, este último registro feito junto com Alfieri Callegaro (DAM). Em março de 2019 um coró-coró foi visto na Atafona, nas matas do rio Ijuí, por DAM e A. Callegaro.
  • Phimosus infuscatus - tapicuru*
  • Theristicus caudatus - curicaca*
  • Theristicus caerulescens - curicaca-real* (Registro novo)
    • Um exemplar desta espécie foi observado no distrito Atafona em setembro de 2020 por DAM e A. C. de Siqueira. Poucos dias antes a espécie havia sido registrada em Independência, sendo estes, até o momento, os únicos registros pra região noroeste.
Curicaca-real na Atafona. Foto: DAM.

  • Platalea ajala - colhereiro* 
    • Foi observada duas vezes em 2015, uma em fevereiro, no Banhado do Santa Tereza (DAM), e outra em abril, no distrito da Buriti (A. Callegaro, com. pess.) (Meller 2017). Em outubro de 2017 foi reencontrada no município, na Granja do Sossego, por Pedro K. Rodrigues (com. pess.).
Colhereiro no Banhado do Santa Tereza. Foto: DAM.


Cathartidae (2)
  • Cathartes aura - urubu-de-cabeça-vermelha
  • Coragyps atratus - urubu

Accipitridae (14+1B?)
  • Leptodon cayanensis - gavião-gato* (Quase ameaçada)
    • Espécie rara no município, com dois registros apenas. O primeiro, de um indivíduo jovem fotografado por Paulo B. Rodrigues na Granja do Sossego; o registro foi compartilhado por Márcia Koch, Ricardo de Oliveira e Gina Bellagamba (Meller 2017, DAM). O segundo registro aconteceu em outubro de 2018, nas proximidades do Mato da Atafona, onde um exemplar adulto foi registrado em voo (DAM).
Jovem gavião-de-cabeça-cinza na Granja do Sossego. Foto: Paulo B. Rodrigues.
  • Chondrohierax uncinatus - caracoleiro* (Deficiente em dados)
    • Espécie incomum no município, com alguns poucos registros associados à matas do rio Ijuí. Foi primeiramente avistada no Rancho LM (Meller 2017) (foto abaixo). Foi novamente avistada sobrevoando as matas do rio Ijuí no Parque Natural Municipal, em meados de 2017, em pelo menos duas ocasiões (DAM).
Caracoleiro no Rancho LM. Foto: DAM.
  • Elanus leucurus - gavião-peneira
  • Circus buffoni - gavião-do-banhado*
  • Circus  cinereus - gavião-cinza* (Vulnerável)
    • Espécie com apenas um registro para o município, de um macho adulto fotografado em junho de 2013 por Paulo B. Rodrigues em uma resteva de soja na Granja do Sossego (Meller 2017). Em abril 2019 um macho da espécie foi novamente visto na Granja do Sossego por P. B. Rodrigues.
Gavião-cinza na Granja do Sossego. Foto: Paulo B. Rodrigues.
  • Accipiter striatus - tauató-miúdo*
  • Ictinia plumbea - sovi
    • Espécie relativamente comum na Mata do Alto Uruguai na primavera/verão, mas que carecia de registros em Santo Ângelo, onde está mais associada às matas do rio Ijuí. Já foi, porém, também avistada em fragmentos florestais no distrito do Sossego (DAM).
  • Rostrhamus sociabilis - gavião-caramujeiro*
  • Geranospiza caerulescens - gavião-pernilongo*
    • Espécie com poucos registros na região, a maioria não documentados (Meller 2017). Foi encontrada algumas vezes nas matas das cercanias do Parque Natural Municipal de Santo Ângelo em 2017, onde foi fotografada em uma ocasião (foto abaixo). Foi também registrada em agosto de 2017 no Sítio Água Doce, junto com Alfieri Callegaro e Ênio Elsenbach (DAM). Em julho de 2018 um exemplar desta espécie foi resgatado no Parque das Oliveiras, com um asa debilitada; a ave foi reencaminhada para o Zoológico de Cachoeira do Sul, onde recebeu tratamento e está alojada (DAM e A. Callegaro).
Gavião-pernilongo nas proximidades do Parque Natural Municipal. Foto: DAM.
  • Heterospizias meridionalis - gavião-caboclo
  • Rupornis magnirostris - gavião-carijó
  • Geranoaetus albicaudatus - gavião-de-rabo-branco*
  • Geranoaetus melanoleucus - águia-serrana (Quase Ameaçada) (B?) (Sem documentação)
    • A inclusão desta espécie na lista baseia-se no relato de Belton (1994) que, junto com H. Sick, relata terem visto ao longe um grande gavião, ao sul de Santo Ângelo, tratando-se provavelmente desta espécie.
  • Buteo brachyurus - gavião-de-cauda-curta*
  • Spizaetus Tyrannus - gavião-pega-macaco* (Em perigo)
    • A espécie possuía apenas um registro não documentado para a região, feito no Parque Estadual do Turvo (Mähler 1996). Em Santo Ângelo, foi encontrada uma única vez, sobrevoando as cercanias das matas do rio Ijuí, no Sítio Água Doce. A observação foi compartilhada com o Grupo Ave Missões (DAM). Em 08 de novembro de 2017, Alfieri Callegaro (com. pess.) acredita ter visto novamente a espécie, dessa vez no O2 Ecoesporte, no município de Entre-Ijuís, alguns poucos quilometros do primeiro local.
Gavião-pega-macaco no Sítio Água Doce. Foto: DAM.

Aramidae (1)
  • Aramus guarauna - carão*
Rallidae (11)
  • Laterallus melanophaius - sanã-parda*
    • A espécie já havia sido ouvida algumas vezes na Granja do Sossego (Meller 2017), tendo em abril de 2019 sua voz gravada na Granja do Sossego por DAM, junto de A. Callegaro (link para gravação).
    • Laterallus leucopyrrhus - sanã-vermelha*
      • Já foi encontrada na Granja do Sossego e no Cemitério Parque Jardim da Paz (Meller 2017).
    Sanã-vermelha na Granja do Sossego. Foto: DAM.
    • Porzana albicollis - sanã-carijó*
      • É encontrada com regularidade na Granja do Sossego, em Santo Ângelo (Meller 2017). Recentemente, em outubro de 2017, foi também ouvida e fotografada na Cascata do Comandaí (DAM) (foto abaixo).
    Sanã-carijó na Cascata do Comandaí. Foto: DAM.
    • Aramides ypecaha - saracuruçu*
    • Aramides saracura - saracura-do-mato
    • Pardirallus nigricans - saracura-sanã
    • Pardirallus sanguinolentus - saracura-do-banhado
      • Muito embora já houvesse sido listada para o município nos mapas de Belton (1994), a espécie carecia de registro documentado, o que foi feito recentemente por Alfieri Callegaro no Banhado do Santa Tereza (foto abaixo).
    • Gallinula galeata - galinha-d'água
    • Gallinula melanops - frango-d'água-carijó
      • Muito embora já houvesse sido listada para o município nos mapas de Belton (1994), a espécie carecia de registro documentado, o que foi feito recentemente por Alfieri Callegaro em uma lagoa no distrito da Buriti (foto abaixo). Depois disso, em novembro de 2017, foi reencontrada no município em uma lagoa da Granja do Sossego, por Paulo B. Rodrigues (com. pess.).
    • Porphyrio martinicus - frango-d'água-azul*
      • A espécie já havia sido avistada em dezembro de 2012 no Cemitério Parque Jardim da Paz e em outubro de 2015 no Banhado do Santa Tereza (Meller 2017), mas carecia de documentação. Recentemente foi fotografada por Pedro K. Rodrigues em uma lagoa na Granja do Sossego, tendo sido novamente avistada pouco depois disso em saída com o Grupo Ave Missões. Em outubro de 2018 a espécie foi registrada também em uma lagoa no Distrito Atafona (DAM e A. Callegaro).
    Frango-d'água-azul na Granja do Sossego. Foto: Pedro K. Rodrigues.
    • Fulica leucoptera - carqueja-de-bico-amarelo*
      • Em Santo Ângelo, tem sido vista com alguma regularidade no Banhado do Santa Tereza, além de ter sido encontrada em junho de 2015 em um açude no distrito do Sossego (Meller 2017).
    Carqueja-de-bico-amarelo no Banhado do Santa Tereza. Foto: DAM.

    Charadriidae (2)
    • Vanellus chilensis - quero-quero
    • Pluvialis dominica - batuiruçu*
      • O único registro é de um exemplar fotografado em outubro de 2012 por Paulo B. Rodrigues na Granja do Sossego (Meller 2017).
    Recurvirostridae (1)
    • Himantopus melanurus - pernilongo-de-costas-branca


    Scolopacidae (9)
    • Gallinago paraguaiae - narceja
    • Bartramia longicauda - maçarico-do-campo*
      • A espécie já foi fotografada na Granja do Sossego por Pedro K. Rodrigues (foto abaixo) e em janeiro de 2015 um indivíduo foi avistado em um mourão de cerca próximo ao Banhado do Santa Tereza por DAM (Meller 2017).
    Maçarico-do-campo na Granja do Sossego. Foto: Pedro K. Rodrigues.
    • Tringa solitaria - maçarico-solitário*
    • Tringa flavipes - maçarico-de-perna-amarela*
    • Tringa melanoleuca - maçarico-grande-de-perna-amarela* (Registro novo)
      • Pelo menos dois exemplares desta espécie foram observados por alguns dias no mês agosto em uma lagoa temporária no distrito Buriti, tendo sidos primeiramente notados por A. Callegaro.
    Maçarico-grande-de-perna-amarela à esquerda. Foto: A. Callegaro.

    • Calidris fuscicollis - maçarico-de-sobre-branco*
    • Calidris melanotos - maçarico-de-colete*
    • Calidris himantopus - maçarico-pernilongo*
      • Primeiramente, dois indivíduos foram encontrados em setembro de 2015 no Banhado do Santa Tereza, tendo o registro sido realizado por DAM e Alfieri Callegaro. Depois, a espécie foi novamente encontrada neste local em junho de 2016, por Adaltro C. Zorzan (Meller 2017).
    Maçarico-pernilongo no Banhado do Santa Tereza. Foto: DAM.
    • Phalaropus tricolor - pisa-n'água*
      • Em outubro de 2015 dois indivíduos foram encontrados no Banhado do Santa Tereza, em Santo Ângelo (Meller 2017).
    • Jacana jacana - jaçanã


    Rynchopidae (1)
    • Rynchops niger - talha-mar*
      • Em outubro de 2015, um indivíduo, provavelmente vagante, foi avistado por alguns dias consecutivos no Banhado do Santa Tereza, tendo o registro sido compartilhado por Alfieri Callegaro e outros integrantes do Grupo Ave Missões (Meller 2017).

    Columbidae (8)
    • Columbina talpacoti - rolinha
    • Columbina picui - rolinha-picuí
    • Columba livia - pombo-doméstico
    • Patagioenas picazuro - asa-branca
    • Patagioenas cayennensis - pomba-galega
    • Apesar de ter sido incluída nos mapas de Belton (1994), a espécie não possuía registros pontuais para o município (Bencke et al. 2003). No entanto, foi ouvida em janeiro de 2011 no Rancho LM e, em dezembro de 2012, avistada no distrito do Sossego (Meller 2017). Recentemente, em outubro de 2018, foi finalmente documentada na área do município, no distrito Atafona, nas proximidades das matas do rio Ijuí (foto abaixo). E em novembro do mesmo ano foi avistada novamente no distrito do Sossego (DAM).
      • Zenaida auriculata - avoante
      • Leptotila verreauxi - juriti-pupu
      • Leptotila rufaxilla - juriti-de-testa-branca

      Cuculidae (8)
      • Piaya cayana - alma-de-gato
      • Coccyzus melacoryphus - papa-lagarta*
      • Coccyzus euleri - papa-lagarta-de-euler* (Deficiente em Dados(Sem documentação)
        • Há um registro visual para o Parque Natural Municipal, em maio de 2010, quando Marc Egger avistou um papa-lagarta do gênero Coccyzus, identificando-o através de caracteres diagnósticos como sendo esta espécie (Meller 2017).
      • Crotophaga major - anu-coroca*
        • Ocorre de forma esporádica nas margens do rio Ijuí, onde já foi encontrada em saídas com o Grupo Ave Missões, tanto no Parque Natural Municipal, em janeiro de 2011, como no Rancho LM, em dezembro de 2013(Meller 2017). Em 2016 e 2017 foi observada no distrito da Buriti, em rios afluentes não distantes do rio Ijuí (Alfieri Callegaro com. pess.).
      Anu-coroca nas margens do rio Ijuí. Foto: Paulo B. Rodrigues.
      • Crotophaga ani - anu-preto
      • Guira guira - anu-branco
      • Tapera naevia - saci*
      • Dromococcyx pavoninus - peixe-frito-pavonino* (Vulnerável)
        • A espécie é encontrada com frequência na Granja do Sossego e também nos arredores do Parque Natural Municipal (DAM); já foi também registrada no Distrito Buriti (A. Callegaro, obs. pess.).
      Peixe-frito-pavonino na Granja do Sossego. Foto: Paulo B. Rodrigues.

      Tytonidae (1)
      • Tyto furcata - suindara*

      Strigidae (7)
      • Megascops choliba - corujinha-do-mato
      • Megascops sanctaecatarinae - corujinha-do-sul
        • Apesar da ampla distribuição dada por Belton (1994) para a espécie, que inclui Santo Ângelo, existem poucos registros na região. Em Santo Ângelo, já foi encontrada na Granja do Sossego, em setembro de 2014, por DAM,  P.B. Rodrigues, Márcia Koch e Luana Almeida; foi novamente registrada nesta localidade por Paulo B. Rodrigues em outubro de 2016 (Meller 2017).
      Corujinha-do-sul na Granja do Sossego. Foto: DAM.
      • Bubo virginianus - jacurutu*
        • Um exemplar observado em outubro de 2017 em um eucaliptal à beira de um campo de barba-de-bode nas proximidades da Cascata do Comandaí, junto com o Grupo Ave Missões (DAM). Um casal foi novamente registrada alguns dias depois, novamente com o Grupo Ave Missões.
      Jacurutu na Cascata do Comandaí. Foto: DAM.
      • Athene cunicularia - coruja-buraqueira
      • Asio clamator - coruja-orelhuda*
        • Foi encontrada em Santo Ângelo com certa regularidade entre 2009 e 2011, em um capão de pinus no Sítio Água Doce (Meller 2017, DAM).
      Coruja-orelhuda no Sítio Água Doce. Foto: DAM.
      • Asio stygius - mocho-diabo* 
        • Em abril de 2019 um exemplar foi observado no campus da URI primeiramente por A. Fick, que nos alertou da ocorrência da espécie. Esse foi o primeiro registro para o município. Depois disso a espécie foi novamente ouvida no centro da cidade no mesmo ano (DAM).
      Mocho-diabo no campus da URI. Foto: DAM.


      • Asio flammeus - mocho-do-banhados* (Quase Ameaçada)
        • Foi encontrada na Granja do Sossego em setembro de 2011, tendo sido vista com certa regularidade no local até o ano de 2016 (Paulo B. Rodrigues, com. pess.). Foi novamente avistada em 2017, junto com Adaltro C. Zorzan (DAM). Em 2020 a espécie foi avistada uma vezx perto do aeroporto e outra vez na Granja do Sossego (DAM).
      Mocho-dos-banhados na Granja do Sossego. Foto: DAM.

      Nyctibiidae (1)
      • Nyctibius griseus - mãe-da-lua*

      Caprimulgidae (5)
      • Lurocallis semitorquatus - tuju*
        • São mencionados registros para o município em 2011 e 2016, tendo sido realizados,  respectivamente, no Seminário Sagrada Família e nas proximidades do Parque Natural Municipal (Meller 2017, DAM). O segundo foi documentado através da gravação de seu canto (link para gravação). Entre setembro e outubro de 2017, a espécie foi novamente ouvida no local onde havia sido gravada.
      • Nyctidromus albicollis - bacurau*
      • Hydropsalis parvula - bacurau-chintã*
        • Em novembro de 2013, foi encontrada na Fazenda do Sossego, onde seu canto foi gravado por P.B. Rodrigues, tendo a ave também sido fotografada por DAM (ver abaixo). Recentemente, em outubro de 2017, a espécie foi também ouvida nas proximidades do Parque Natural Municipal, junto com Ataiz C. de Siqueira (DAM), e fotografada na Granja do Sossego, por Paulo B. Rodrigues (com. pess.).
      Bacurau-chintã na Fazenda do Sossego. Foto: DAM.
      • Hydropsalis torquata - bacurau-tesoura*
      • Chordeiles nacunda - corucão

      Apodidae (3)
      • Cypseloides senex - taperuçu-velho*
        • Na Cascata do Comandaí, a espécie é comumente vista em pequenos grupos, pousando na cascata ao entardecer para pernoitar; a maioria dos registros é proveniente dos meses de verão, mas já foi observada em maio de 2011; em novembro de 2012 foi encontrado um ninho na cascata, contendo um filhote. Já foi também fotografada na Fazenda do Sossego, por Paulo B. Rodrigues (Meller 2017).
      Grupo de taperuçus-velho na Cascata do Comandaí. Foto: DAM.
      • Chaetura cinereiventris - andorinhão-de-sobre-cinzento*
        • Foi registrada ao menos uma vez, no Rancho LM, em 2011, quando foi fotografada e identificada pela vocalização (foto abaixo) (DAM).
      Andorinhão-de-sobre-cinzento no Rancho LM. Foto: DAM.
      • Chaetura meridionalis - andorinhão-do-temporal*

      Trochilidae (9)
      • Eupetomena macroura - beija-flor-tesoura*
        • O primeiro e único registro municipal desse beija-flor ocorreu em junho de 2019 na COAB, onde Peter Aguiar observou a espécie em frente à sua residência.
      Beija-flor-tesoura próximo à COAB. Foto: Peter Aguiar.

      • Florisuga fusca - beija-flor-preto*
        • Na área urbana de Santo Ângelo, um par foi avistado em setembro de 2008, e outro indivíduo encontrado em um jardim em maio de 2011 (Meller 2017).
      Beija-flor-preto no centro de Santo Ângelo. Foto: DAM.

      • Anthracothorax nigricollis - beija-flor-de-veste-preta*
      • Stephanoxis loddigesii - beija-flor-de-topete-azul
      • Chlorostilbon lucidus - besourinho-de-bico-vermelho*
      • Hylocharis chrysura - beija-flor-dourado*
      • Leucochloris albicollis - beija-flor-de-papo-branco*
        • A espécie já havia sido encontrada em Santo Ângelo por A. Callegaro (com pess. em Meller 2017), tendo em abril de 2019 sido fotografada na mata da Atafona por DAM, junto de A. Callegaro.
      Beija-flor-de-papo-branco na Atafona. Foto: DAM.

      • Polytmus guainumbi - beija-flor-de-bico-curvo* (Deficiente em Dados)
        • A espécie foi descoberta no município no banhado da Cascata do Comandaí em fevereiro de 2018 (DAM). Este é também o único registro até o momento para a região noroeste.
      Beija-flor-de-bico-curvo em banhado nas proximidades da Cascata do Comandaí, em Santo Ângelo. Foto: DAM.

      • Hemiomaster furcifer - bico-reto-azul* (Registro novo)
        • Este beija-flor foi encontrado pela primeira vez no município em março de 2020, na área urbana central, por A. C. Zorzan.
      Bico-reto-azul em Santo Ângelo. Foto: A. C. Zorzan.

      Trogonidae (1)
      • Trogon surrucura - surucuá-variado

      Alcedinidae (3)
      • Megaceryle torquata - martim-pescador-grande*
      • Chloroceryle amazona - martim-pescador-verde*
      • Chloroceryle americana - martim-pescador-pequeno*

      Bucconidae (1)
      • Nystalus chacuru - joão-bobo*
        • Pouco comum no município, mas costuma ser encontrado com certa regularidade na Cascata do Comandaí, onde também foi fotografado. Em 2018 foi encontrado também na Granja do Sossego, por P. B. Rodrigues (WA3198837).

      Ramphastidae (2)
      • Ramphastos dicolorus - tucano-de-bico-verde*
        • A espécie não é muito comum na área do município, mas um bando entre 10 a 20 indivíduos foi observado por alguns dias na zona sul da área urbana de Santo Ângelo, em julho de 2012 (Meller 2017). Em 2020 a espécie foi registrada várias vezes na área urbana, sobretudo no decorrer do inverno.

      • Pteroglossus castanotis - araçari-castanho* (Quase ameaçado)
        • A espécie foi encontrada pela primeira vez no município no distrito da Buriti, onde A. Callegaro, em março de 2019, registrou 5 indivíduos se alimentando em árvores frutíferas, não sendo mais avistados depois disso. Em 2020 a espécie foi novamente avistada no município, na área do Campus da URI (DAM).
      Araçari-castanho na Buriti. Foto: Alfieri Callegaro.

      Picidae (8)
      • Picumnus nebulosus - picapauzinho-carijó
        • Já foi encontrada no Seminário Sagrada Família e na Fazenda e na Granja do Sossego (Meller 2017). Vive associado às taquaras-bravas.
      Picapauzinho-carijó no Seminário Sagrada Família. Foto: DAM.
      • Melanerpes candidus - pica-pau-branco
      • Melanerpes flavifrons - benedito-de-testa-amarela
        • Pouco comum no município. Foi encontrado em agosto de 2011 na Floresta Melnik, sendo novamente registrado no município próximo ao Parque Natural Municipal, em novembro de 2016 (Meller 2017).
      Benedito-de-testa-amarela na Floresta Melnik, próximo ao aeroporto de Santo Ângelo. Foto: DAM.
      • Veniliornis spilogaster - picapauzinho-verde-carijó
      • Piculus aurulentus - pica-pau-dourado*
        • Já foi encontrada nas matas do rio Ijúi, no Rancho LM, em janeiro de 2011, e junto com o Grupo Ave Missões, em dezembro de 2013; também foi ouvida em junho de 2013 no Seminário Sagrada Família (Meller 2017). Foi também encontrada no Sítio Água Doce, em saída com o Grupo Ave Missões, quando foi fotografada (DAM). Em setembro e 2018 a espécie foi também ouvida no Mato da Buriti (DAM e A. Callegaro).
      Pica-pau-dourado no Sítio Água Doce. Foto: Paulo B. Rodrigues.
      • Colaptes melanochloros - pica-pau-verde-barrado
      • Colaptes campestris - pica-pau-do-campo
      • Dryocopus lineatus - pica-pau-de-banda-branca*
        • Apesar de não ter sido incluída na distribuição prévia (Belton 1994), a espécie já foi encontrada diversas vezes no município, em vários locais (DAM).
      Pica-pau-de-banda-branca no Distrito do Sossego. Foto: DAM.

      Cariamidae (1)
      • Cariama cristata - seriema*
        • A espécie é rara no município, tendo sido registrada primeiramente por Paulo B. Rodrigues, na Granja do Sossego, em 2012. Em novembro de 2017 foi novamente avistada na Granja do Sossego (Paulo B. Rodrigues, com. pess.).

        Falconidae (7+1B)
        • Caracara plancus - caracará*
        • Milvago chimachima - carrapateiro
        • Milvago chimango - chimango
        • Micrastur ruficollis - falcão-caburé (B) (Sem documentação)
          • Apesar de Belton (1994) incluir a distribuição da espécie até a área do município, não há indícios recentes de sua ocorrência, muito embora possa vir a ser encontrada, sobretudo nas matas remanescentes do rio Ijuí.
        • Micrastur semitorquatus - falcão-relógio*
          • O primeiro registro da espécie para o município aconteceu em março de 2017, quando foi ouvida e teve gravada sua vocalização nas proximidades do Parque Natural Municipal (link para gravação). Foi novamente ouvido nas imediações do mesmo local em maio e junho de 2018 (DAM). Em 2019 foi ouvido também na matas da Atafona, perto do rio Ijuí, o som poderia vir do outro lado do rio (DAM, A. Callegaro).
        • Falco sparverius - quiriquiri
        • Falco femoralis - falcão-de-coleira*
        • Falco peregrinus - falcão-peregrino*
          • É bem conhecida de Santo Ângelo, onde tem sido avistada regularmente a cada primavera/verão desde 2008 (Meller 2017). Ocorre tanto em áreas urbanas como em áreas rurais; tem certa preferência por torres telefônicas e de alta tensão (DAM).
        Falcão-peregrino nos arredores da Granja do Sossego. Foto: DAM.

        Psittacidae (4)
        • Pyrrhura frontalis - tiriba*
          • Em novembro de 2018, a espécie já havia sido ouvida enquanto sobrevoava pela Mata da Atafona (DAM, A. Callegaro), tendo em janeiro de 2019 sido fotografada na COAB por Peter Aguiar.
        Tiriba registrada na COAB. Foto: Peter Aguiar.

          • Myiopsitta monachus - caturrita*
          • Pionus maximiliani - maitaca
          • Amazona pretrei - papagaio-charão* (Vulnerável) (Sem documentação)
            • Embora não possua documentação no município, dois bandos foram observados sobrevoando a área urbana do município no ano de 2014 (Meller 2017).

          Thamnophilidae (4)
          • Dysithamnus mentalis - choquinha-lisa
          • Thamnophilus ruficapillus - choca-de-chapéu-vermelho
          • Thamnophilus caerulescens - choca-da-mata
          • Mackenziaena leachii - borralhara-assobiadora

          Conopophagidae (1)
          • Conopophaga lineata - chupa-dente*

          Formicariidae (1)
          • Chamaeza campanisona - tovaca-campainha
            • A tovaca-campainha foi reencontrada (após Belton 1994) primeiramente no município, em 2014, em um fragmento de mata no distrito do Lajeado do Cerne, por DAM e Alfieri Callegaro. Sua voz foi gravada e depositada no WikiAves (link para gravação). Em junho de 2018 foi registrada também na Mata da Buriti (DAM e A. Callegaro).

          Scleruridae (1)
          • Sclerurus scansor - vira-folha
            • Foi encontrada apenas uma vez no município apó Belton (1994), em uma mata na Granja do Sossego, quando foi gravada e fotografada, tendo seus arquivos depositados no WikiAves.
          Vira-folha na Granja do Sossego. Foto: Paulo B. Rodrigues.

          Dendrocolaptidae (4)
          • Sittasomus griseicapillus - arapaçu-verde
          • Campylorhamphus falcularius - arapaçu-de-bico-torto*
            • A espécie foi encontrada a primeira vez em setembro de 2018 por DAM e A. Callegaro na Mata da Atafona, à beira do rio Ijuí, tendo sido então documentada através de fotos e gravações no mês seguinte pelos mesmos observadores.
          • Lepidocolaptes falcinellus - arapaçu-escamoso-do-sul
          • Dendrocolaptes platyrostris - arapaçu-grande

          Xenopidae (1)
          • Xenops rutilans - bico-virado-carijó*
            • Em junho de 2017 foi encontrada pela primeira vez no município nas matas do Rancho LM, junto com Adelita Rauber e Alfieri Callegaro, quando foi gravada pela primeira vez (DAM). Depois disso, em maio de 2018, foi registrado também na Mata da Buriti, junto com A. Callegaro, tendo sido então fotografado (DAM). Em 2019 foi visto nas Matas da Atafona (DAM, A. Callegaro).

          Furnariidae (13)
          • Furnarius rufus - joão-de-barro
          • Lochmias nematura - joão-porca
          • Phleocryptes melanops - bate-bico* (Registro novo)
            • O bate-bico foi primeiramente registrado para o município e região em agosto de 2020 no banhado do Santa Tereza por A. Callegaro. Depois disto foi novamente encontrado em uma lagoa na Granja do Sossego e também em uma lagoa no distrito Atafona (DAM obs. pess.).
          Bate-bico no banhado do Santa Tereza. Foto: A. Callegaro.

          • Syndactyla rufosuperciliata - trepador-quiete
          • Phacellodomus ruber - graveteiro*
            • Registrado recentemente para o município, tanto no Cemitério Parque Jardim da Paz, como na Cascata do Comandaí (Meller 2017, DAM). Foi encontrado em junho de 2018 também na Fazenda do Sossego (WA3010999).
          Graveteiro no Cemitério Parque Jardim da Paz. Foto: DAM.
          • Anumbius annumbi - cochicho
          • Schoeniophylax phryganophilus - bichoita*
          • Certhiaxis cinnamomeus - curutié*
          • Synallaxis ruficapilla - pichororé
          • Synallaxis cinerascens - pi-puí
          • Synallaxis frontalis - petrim*
          • Synallaxis spixi - joão-teneném
          • Cranioleuca obsoleta - arredio-oliváceo

          Pipridae (1)
          • Chiroxiphia caudata - tangará
            • Foi registrado no ano de 2009, no Parque Natural Municipal. Em uma ocasião foi também observado no Rancho LM (DAM). Em 2019 foi ouvido nas Matas da Atafona (DAM, A. Callegaro).

          Tityridae (5)
          • Tityra inquisitor - anambé-branco-de-bochecha-parda
          • Tityra cayana - anambé-branco-de-rabo-preto (Sem documentação)
            • Além de sua distribuição ter sido incluída no município por Belton (1994), um exemplar foi visto alimentando-se em uma canela nativa (Lauracea) nos arredores do Parque Natural Municipal em 2016 (DAM).
          • Pachyramphus castaneus - caneleiro*
            • Um exemplar foi ouvido e fotografado em setembro de 2018 em um mato à beira do rio Ijuí no Distrito Atafona (DAM); o registro foi compartilhado com A. Callegaro.
          • Pachyramphus polychopterus - caneleiro-preto
          • Pachyramphus validus - caneleiro-de-chapéu-preto*
            • Um exemplar foi observado alimentando-se em uma canela nativa (Lauracea) nos arredores do Parque Natural Municipal (Meller 2017). Em outubro de 2017 a ave foi novamente observada no mesmo local (DAM). Em janeiro de 2018, foi novamente registrada por A. Callegaro e A. C. Zorzan, que documentou a espécie com uma foto no Sítio Água Doce. Depois foi novamente registrada no Mato da Buriti e no Mato da Atafona, em setembro e outubro do mesmo ano (DAM e A. Callegaro).
          Caneleiro-de-chapéu-preto no Sítio Água Doce, em Santo Ângelo. Foto: Adaltro C. Zorzan.

          Platyrinchidae (1)
          • Platyrinchus mystaceus - patinho* 
            • O único registro do patinho para Santo Ângelo aconteceu em abril de 2019, na mata da Atafona, onde DAM e A. Callegaro encontraram a espécie.
          Patinho na Atafona. Foto: DAM.

          Rhynchocyclidae (6)
          • Leptopogon amaurocephalus - cabeçudo*
          • Phylloscartes ventralis - borboletinha-do-mato
          • Tolmomyias sulphurescens - bico-chato-de-orelha-preta
          • Todirostrum cinereum - ferreirinho-relógio*
            • Um exemplar foi fotografado no campus do IFF, em Santo Ângelo, primeiramente por Mariana Oliveira, em maio de 2018, sendo depois disso também encontrado por DAM, P. B. Rodrigues e M. Koch.
          Ferreirinho-relógio registrado no campus do IFF, em Santo Ângelo. Foto: DAM.

          • Poecilotriccus plumbeiceps - tororó
          • Hemitriccus margaritaceiventer - sebinho-de-olho-de-ouro*
            • A espécie tem sido observada na Granja do Sossego, onde foi descoberta primeiramente por Adrian Rupp e Paulo B. Rodrigues (Meller 2017). Foi recentemente observada nesse local em saída com o Grupo Ave Missões, em outubro de 2017 (foto abaixo).
          Sebinho-olho-de-ouro na Granja do Sossego. Foto: Cláudio Furini.

          Tyrannidae (36+1B)
          • Hirundinea ferruginea - gibão-de-couro*
            • Em Santo Ângelo, o gibão-de-couro foi observado algumas vezes no período da primavera/verão entre 2009 e 2012, sempre associado à estrutura de pedras da Catedral Angelopolitana, no centro da cidade (DAM). No verão de 2019/2020 a espécie teve uma série de registros divulgados no site WikiAves, evidenciando sua ocorrência contínua na área.
          Gibão-de-couro na Catedral Angelopolitana. Foto: DAM.
          • Euscarthmus meloryphus - barulhento*
            • Ocorre na Granja do Sossego, onde já foi registrada em todos os meses do ano (P.B. Rodrigues, com. pess. em Meller 2017).
          Barulhento na Granja do Sossego. Foto: DAM.
          • Camptostoma obsoletum - risadinha
          • Elaenia flavogaster - guaracava-de-barriga-amarela*
          • Elaenia spectabilis - guaracava-grande*
          • Elaenia parvirostris - tuque-pium*
          • Elaenia mesoleuca - tuque*
            • Já foi encontrada tanto no Rancho LM, em setembro de 2011, como também na Fazenda do Sossego, em novembro de 2013 (Meller 2017).
          Tuque no Rancho LM. Foto: DAM.
          • Elaenia obscura - tucão*
            • Espécie registrada de forma contínua na Granja do Sossego desde novembro de 2018, quando foi descoberta por P.B. Rodrigues e M. Koch. Esta é a única localidade conhecida para a região noroeste onde a espécie ocorre.
          Tucão em Santo Ângelo. Foto: P.B. Rodrigues.

          • Myiopagis caniceps - guaracava-cinzenta*
            • Um exemplar foi ouvido e fotografado em setembro de 2018 em um mato à beira do rio Ijuí no Distrito Atafona (DAM); o registro foi compartilhado com A. Callegaro.
          Guaracava-cinzenta na Atafona. Foto: DAM.

          • Myiopagis viridicata - guaracava-de-crista-alaranjada*
            • Já foi encontrada no Parque Natural Municipal, em fevereiro de 2011 e 2013; no Seminário Sagrada Família, em novembro de 2012; e no Rancho LM, em janeiro de 2013 (Meller 2017). Também possui diversos registros para a Granja do Sossego  no WikiAves.
          Guaracava-de-crista-alaranjada no Seminário Sagrada Família. Foto: DAM.
          • Capsiempis flaveola - marianinha-amarela* (Vulnerável)
            • Tem sido registrada nos taquarais das matas de galeria dos rios Itaquarinchim e São João, na Granja do Sossego.
          Marianinha-amarela na Granja do Sossego. Foto: Paulo B. Rodrigues.
          • Polystictus pectoralis - papa-moscas-canela* (Em Perigo)
            • A espécie já foi registrada na Granja do Sossego, onde tem sido observada com certa regularidade desde 2013, porém os registros ocorrem tão somente por volta do mês de maio (Paulo B. Rodrigues, com. pess. em Meller 2017).
          Papa-moscas-canela na Granja do Sossego. Foto: Paulo B. Rodrigues.
          • Pseudocolopteryx sclateri - tricolino* (Registro novo) 
            • O tricolino foi registrado pela primeira vez no município e região em uma banhado com capins na Granja do Sossego, em setembro de 2020, por P. B. Rodrigues e M. Koch. Os registros anteriores mais próximos eram de São Borja.
          Tricolino na Granja do Sossego. Foto: P. B. Rodrigues.

          • Pseudocolopteryx flaviventris - amarelinho-do-junco* (Registro novo)
            • O amarelinho-do-junco foi registrado pela primeira vez no município e região em uma banhado com capins na Granja do Sossego, em setembro de 2020, por P. B. Rodrigues e M. Koch. Os registros anteriores mais próximos eram de São Borja.
          Amarelinho-do-junco na Granja do Sossego. Foto: P. B. Rodrigues.

          • Phyllomyias virescens - piolhinho verdoso*
            • Registrada recentemente, em 2017, no Parque Natural Municipal, junto com Alfieri Callegaro e Ênio Elsenbach (DAM).
          Piolhinho-verdoso no Parque Natural Municipal. Foto: DAM.
          • Serpophaga subcristata - alegrinho
          • Legatus leucophaius - bem-te-vi-pirata
            • Incluída nos mapas de Belton (1994), não havia nenhum registro recente para o município até recentemente, quando foi fotografada em setembro de 2018 na Granja do Sossego.
          Bem-te-vi-pirata na Granja do Sossego. Foto: Márcia Koch.

          • Myiarchus swainsoni - irré
          • Myiarchus ferox - maria-cavaleira*
            • Foi primeiro registrada no Sítio Água Doce, em julho de 2013, por DAM e Paulo B. Rodrigues, onde um par foi observado e, após se aproximar em resposta ao playback, emitir sua voz característica. Neste mesmo município, foi encontrada na Fazenda do Sossego, alguns dias após o último registro, por Paulo B. Rodrigues (Meller 2017). Em 2019 foi novamente encontrada por DAM e A. Callegaro na Atafona, em matas próximas ao rio Ijuí.
          Maria-cavaleira no Sítio Água Doce. Foto: DAM.
          • Pitangus sulphuratus - bem-te-vi
          • Machetornis rixosa - suiriri-cavaleiro
          • Myiodynastes maculatus - bem-te-vi-rajado
          • Megarynchus pitangua - neinei
          • Myiozetetes similis - bentevizinho-de-penacho-vermelho* (Sem documentação)
            • Um indivíduo foi avistado na área urbana no ano de 2014, sendo a espécie novamente registrada neste município próximo ao Parque Natural Municipal, em novembro de 2016 (Meller 2017).
          • Tyrannus melancholicus - suiriri
          • Tyrannus savana - tesourinha
          • Empidonomus varius - peitica
          • Myiophobus fasciatus - filipe
          • Pyrocephalus rubinus - príncipe
          • Arundinicola leucocephala - freirinha*
            • Uma fêmea foi encontrada no Banhado do Santa Tereza em setembro de 2018 por A. Callegaro (com. pess.). Este é o primeiro registro tanto para o município, como para a região noroeste.
          Freirinha fêmea no Banhado do Santa Tereza. Foto: Alfieri Callegaro.

          • Gubernetes yetapa - tesoura-do-brejo* (Quase Ameaçada)
            • Tem sido observada em localidades como a Granja do Sossego, em banhados e várzeas dos arroios Itaquarinchim e São João; ocorre também nas várzeas do arroio Santa Tereza (Meller 2017).
          Tesoura-do-brejo na Granja do Sossego. Foto: DAM.
          • Cnemotriccus fuscatus bimaculatus - guaracavuçu
            • Já foi registrada no Rancho LM, em março de 2011 por DAM, e na Granja do Sossego, em outubro de 2014 por Paulo B. Rodrigues (Meller 2017). Nesse local foi divulgado, mais recentemente, novo registro no site WikiAves.
          Guaracavuçu na Granja do Sossego. Foto: Paulo B. Rodrigues.
          • Lathrotriccus euleri - enferrujado
          • Knipolegus cyanirostris - maria-preta-de-bico-azulado*
          • Satrapa icterophrys - suiriri-pequeno*
          • Xolmis cinereus - primavera*
          • Xolmis coronatus - noivinha-coroada (B) (Sem documentação)
            • Embora tenha sido incluída nos mapas de Belton (1994), não há indícios de registros recentes para o município, muito embora exista a remota possibilidade de aparecer como espécie vagante em áreas de formação aberta.
          • Xolmis irupero - noivinha*
            • Embora comum em partes da região, em Santo Ângelo a espécie foi encontrada apenas uma vez, na Granja do Sossego, por Pedro K. Rodrigues (foto abaixo).

          Vireonidae (2)
          • Cyclarhis gujanensis - pitiguari
          • Vireo olivaceus - juruviara

          Corvidae (1+1B)
          • Cyanocorax caeruleus - gralha-azul (B) (Sem documentação)
            • Embora tenha sido incluída nos mapas de Belton (1994), não há indícios de registros recentes para o município.
          • Cyanocorax chrysops - gralha-picaça

          Hirundinidae (10)
          • Pygochelidon cyanoleuca - andorinha-pequena-de-casa
          • Alopochelidon fucata - andorinha-morena*
          • Stelgidopteryx ruficollis - andorinha-serradora
          • Progne tapera - andorinha-do-campo
          • Progne chalybea - andorinha-doméstica-grande
          • Tachycineta albiventer - andorinha-do-rio
            • Belton (1994) já havia incluído a espécie para o município em seus mapas de distribuição, tendo sido apenas em 2015 avistada em uma represa próximo à Granja do Sossego (DAM). Mais recentemente, (novembro de 2017) dois exemplares foram vistos e fotografados no rio Ijuí, na Barca dos Gabriel, local próximo ao Sítio Água Doce, por DAM junto com Alfieri Callegaro.
          Andorinhas-do-rio na Barca dos Gabriel, próximo ao Sítio Água Doce. Foto: DAM.
          • Tachycineta leucorrhoa - andorinha-de-testa-branca
          • Riparia riparia - andorinha-do-barranco* (Registro novo)
            • Foi registrada por P.B. Rodrigues na Granja do Sossego em dezembro de 2020 junto a um bando de andorinhas-de-dorso-acanelado. As andorinhas estavam voando sobre um milharal. Essa é a primeira vez que essa andorinha foi registrada na região noroeste, tendo sido encontrada poucos dias antes em São Borja.
          Andorinha-do-barranco (Riparia riparia). Foto: P.B. Rodrigues.
           

          • Hirundo rustica - andorinha-de-bando* 
            • Um exemplar foi observado em outubro de 2017 em um campo à beira de um banhado nas proximidades da Cascata do Comandaí, junto com o Grupo Ave Missões (DAM). Um exemplar da espécie foi novamente observado no local junto a um grande bando de P. pyrrhonota em fevereiro de 2018 (DAM).
          Andorinha-de-bando na Cascata do Comandaí. Foto: DAM.
          • Petrochelidon pyrrhonota - andorinha-de-dorso-acanelado

          Troglodytidae (2)
          • Troglodytes musculus - corruíra
          • Campylorhynchus turdinus - catatau*
            • Essa espécie que constava com somente um registro no Rio Grande do Sul (Franz et al. 2018), foi encontrada na área urbana de Santo Ângelo em fevereiro de 2019 por Antônio C. de Conti, que gravou e repassou para M. Koch. Depois disso a espécie foi finalmente localizada por DAM, junto com C. N. Kuhn, que a fotografaram pela primeira vez em março do mesmo ano. A espécie continuou sendo observada até cerca do começo do inverno.
          Polioptilidae (1)
          • Polioptila dumicola - balança-rabo-de-máscara*

          Turdidae (5)
          • Turdus rufiventris - sabiá-laranjeira
          • Turdus leucomelas - sabiá-branco
          • Turdus amaurochalinus - sabiá-poca
          • Turdus subalaris - sabiá-ferreiro
          • Turdus albicollis - sabiá-coleira

          Mimidae (2)
          • Mimus saturninus - sabiá-do-campo
          • Mimus triurus - calhandra-de-três-rabos

          Motacillidae (2)
          • Anthus lutescens - caminheiro-zumbidor*
          • Anthus hellmayri - caminheiro-de-barriga-acanelada*
          Caminheiro-de-barriga-acanelada na Cascata do Comandaí. Foto: DAM.

          Passerellidae (2)
          • Zonotrichia capensis - tico-tico
          • Ammodramus humeralis - tico-tico-do-campo

          Parulidae (4)
          • Parula pitiayumi - mariquita
          • Geothlypis aequinoctialis - pia-cobra
          • Basileuterus culicivorus - pula-pula
          • Myiothlypis leucoblepharus - pula-pula-assobiador

          Icteridae (11)
          • Cacicus chrysopterus - tecelão*
          • Cacicus haemorrhous - guaxe
          • Icterus pyrrhopterus - encontro
          • Gnorimopsar chopi - pássaro-preto*
          • Chrysomus ruficapillus - garibaldi*
          • Xanthopsar flavus - veste-amarela* (Vulnerável)
            • Foi registrada diversas vezes na Granja do Sossego (Paulo B. Rodrigues, com. pess.), onde bandos consideráveis já foram encontrados (DAM); uma vez foi encontrada perto do Banhado do Santa Tereza e outra, com o Grupo Ave Missões, próximo à Cascata do Comandaí. Em agosto de 2012 foram observadas associações com Gubernetes yetapa e Pseudoleistes guirahuro. Estas associações são bastante comuns na espécie X. flavus, tendo sido já anteriormente estudadas no RS, principalmente em relação à Xolmis dominicanus, que ainda não foi registrada na região noroeste. No entanto, ao que parece este é o primeiro relato de associação com G. yetapa para o Brasil, tendo já sido descrito esse comportamento tanto na Argentina, como no Paraguai (Meller 2017).
            Veste-amarela na Granja do Sossego. Foto: DAM.
            • Pseudoleistes guirahuro - chopim-do-brejo
            • Agelaioides badius - asa-de-telha*
            • Molothrus rufoaxillaris - chupim-azeviche*
            • Molothrus oryzivorus - iraúna-grande* (Quase Ameaçada)
              • A espécie foi encontrada uma única vez em Santo Ângelo, no distrito do Sossego, em setembro de 2011, junto com Carlos Becker (Meller 2017).
            Iraúna-grande no distrito do Sossego. Foto: Carlos Becker.
            • Molothrus bonariensis - chupim
            • Sturnella superciliaris - polícia-inglesa-do-sul

            Thraupidae (35)
            • Coereba flaveola - cambacica* (Sem documentação)
              • Ademir Fick relatou ter visto a espécie em frente ao prédio da Biologia da URI no fim de outubro de 2019. Esse é o único registro desta espécie para o município.
            • Saltator coerulescens - sabiá-gongá* 
              • A espécie foi encontrada uma única vez no município, por DAM e A. Callegaro, em março de 2019, na Buriti.
            Sabiá-gongá na Buriti. Foto: DAM.

            • Saltator similis - trinca-ferro*
            • Saltator maxillosus - bico-grosso
            • Nemosia pileata - saíra-de-chapéu-preto* 
              • A espécie foi encontrada no município no distrito Atafona por DAM e Peter Aguiar, em junho de 2019. Esse é o único registro da espécie no município.
            Saíra-de-chapéu-preto macho na Atafona. Foto: DAM.

            • Pyrrhocoma ruficeps - cabecinha-castanha
              • Muito embora já houvesse sido listada para o município nos mapas de Belton (1994), a espécie carecia de registro documentado.
            • Tachyphonus coronatus - tiê-preto
            • Lanio cucullatus - tico-tico-rei
            • Lanio melanops - tiê-de-topete
            • Tangara sayaca - sanhaçu-cinzento
            • Tangara preciosa - saíra-preciosa (Nova documentação)
              • Além de Belton (1994) incluir a espécie para o município em seus mapas de distribuição, no inverno de 2017 a espécie foi avistada próximo a um pomar nos arredores do Parque Natural Municipal (DAM obs. pess.). Em maio de 2020 P. B. Rodrigues (com. pess.) fotografou um indivíduo na sede da Granja do Sossego.
            Saíra-preciosa na Granja do Sossego. Foto: P. B. Rodrigues.

            • Stephanophorus diadematus - sanhaçu-frade
              • Espécie incomum no município. Foi primeiro registrada na Granja do Sossego por Paulo B. Rodrigues (foto abaixo). Em 2017 foi registrada também na Cascata do Comandaí, por DAM e Alfieri Callegaro. Também em 2017 foi registrada no Banhado do Santa Tereza por Alfieri Callegaro (com. pess.).
            Sanhaço-frade na Granja do Sossego. Foto: Paulo B. Rodrigues.
            • Paroaria coronata - cardeal*
            • Pipraeidea melanonota - saíra-viúva
            • Pipraeidea bonariensis - sanhaçu-papa-laranja
            • Tersina viridis - saí-andorinha
            • Hemithraupis guira - saíra-de-papo-preto
            • Conirostrum speciosum - figuinha-de-rabo-castanho*
            • Donacospiza albifrons - tico-tico-do-banhado
            • Poospiza nigrorufa - quem-te-vestiu
            • Microspingus cabanisi - quete-do-sul
            • Sicalis flaveola - canário-da-terra
            • Sicalis luteola - tipio
            • Emberizoides herbicola - canário-do-campo*
            • Embernagra platensis - sabiá-do-banhado
            • Volatinia jacarina - tiziu
            • Sporophila collaris - coleiro-do-brejo* (Quase Ameaçada)
              • Foi registrada primeiramente diversas vezes entre 2010 e 2012 no Cemitério Parque Jardim da Paz, onde foi fotografada (foto abaixo). Depois disso, foi encontrada nidificando na margem do rio Comandaí, nas proximidades da PCH do rio Comandaí, ainda em Santo Ângelo, em fevereiro de 2014, em saída com o Grupo Ave Missões (Meller 2017). Nesse último local foi encontrada novamente com o Grupo Ave Missões em 2017.
            Coleiro-do-brejo no Cemitério Parque Jardim da Paz. Foto: DAM.
            • Sporophila caerulescens - coleirinho
            • Sporophila pileata - caboclinho-branco* (Vulnerável)
              • É encontrada com regularidade na Granja do Sossego (P. B. Rodrigues, com. pess. em Meller 2017). Foi também registrada no banhado da Cascata do Comandaí, em 2017, em saída com o Grupo Ave Missões.
            Caboclinho-branco na Fazenda do Sossego. Foto: DAM.
            • Sporophila hypoxantha - caboclinho-de-barriga-vermelha (Vulnerável
              • A espécie foi encontrada em Santo Ângelo em novembro de 2019, na Granja do Sossego, por P. B. Rodrigues e M. Koch, junto com outros observadores do Ave Missões. A espécie continuou sendo avistada por alguns dias, inclusive o macho vocalizando junto da fêmea. Esses são os primeiros registros dessa espécie pra região noroeste.
            Caboclinho-de-barriga-vermelha na Granja do Sossego. Foto: Paulo B. Rodrigues.

            • Sporophila ruficollis - caboclinho-de-papo-escuro* (Vulnerável)
              • Espécie registrada uma única vez no município, por Paulo B. Rodrigues na Granja do Sossego, em Santo Ângelo, em novembro de 2013 (Meller 2017).
            Caboclinho-de-papo-escuro na Granja do Sossego. Foto: Paulo B. Rodrigues.
            • Sporophila palustris - caboclinho-de-papo-branco* (Vulnerável) (Sem documentação)
              • A espécie foi avistada uma única vez em Santo Ângelo, em novembro de 2019, na Granja do Sossego, por P. B. Rodrigues e M. Koch (com. pess.). A espécie já havia sido encontrada em Santa Rosa, sendo este o segundo registro para a região noroeste.
            • Sporophila cinnamomea - caboclinho-de-chapéu-cinzento* (Quase ameaçada)
              • A espécie foi avistada uma única vez em Santo Ângelo, em novembro de 2019, na Granja do Sossego, por P. B. Rodrigues e M. Koch (com. pess.). Esse foi primeiro registro dessa espécie pra região noroeste. Em novembro de 2020 pelo menos dois exemplares jovens foram avistados por alguns dias em um banhado da Granja do Sossego (DAM obs. pess.).
            Caboclinho-de-chapéu-cinzento na Granja do Sossego. Foto: Paulo B. Rodrigues.

            • Sporophila melanogaster - caboclinho-de-barriga-preta* (Em perigo) (Registro novo)
              • Um exemplar desta espécie foi fotografado em um banhado com capins na Granja do Sossego em novembro de 2020 por P. B. Rodrigues (com. pess.). As circunstâncias deste registro devem-se ao fato da espécie ser migratória e acompanhar outras caboclinhos enquanto realiza seus deslocamentos sazonais até a chegada de seu território, que situa-se nos Campos de Cima da Serra. Este é o primeiro registro para esta região do estado.
            Caboclinho-de-barriga-preta na Granja do Sossego. Foto: P. B. Rodrigues.

            • Sporophila beltoni - patativa-tropeira* (Em perigo)
              • Espécie recentemente descrita separadamente de Sporophila plumbea, tendo sua principal área de ocorrência na época migratória nos Campos de Cima da Serra. O registro em um banhado em Santo Ângelo é realmente surpreendente e possivelmente explicável pelo fato da espécie ter se desgarrado de seu bando durante a migração e associando-se a algum bando de caboclinhos-brancos que migrava para as Missões. A espécie foi descoberta por Adelita Rauber, tendo sido registrada por diversos observadores depois, inclusive em saída com o Grupo Ave Missões.
            Patativa-tropeira em banhado na Cascata do Comandaí. Foto: Adelita Rauber.
            • Sporophila angolensis - curió* (Em perigo)
              • Um casal foi avistado em setembro de 2010, no Cemitério Parque Jardim da Paz. Em setembro de 2012 um exemplar macho foi avistado perseguindo um macho adulto de S. collaris. Durante 40 minutos as aves foram observadas em perseguição. Primeiramente, o curió estava perseguindo o coleiro-do-brejo, no entanto quando pousavam em ramagem densa, a situação invertia, e mesmo em voo também foi observado, com menor frequência, o coleiro-do-brejo perseguindo o curió. Algumas vezes as aves paravam e emitiam seus cantos. A área em que as aves executavam a perseguição incluía capoeiras e um banhado (Meller 2017). Um macho jovem foi fotografado na Granja do Sossego em janeiro de 2019 por Vanilce Carvalho.
            Curió no Cemitério Parque Jardim da Paz. Foto: DAM.

            Cardinalidae (2)
            • Cyanoloxia brissonii - azulão
            • Cyanoloxia glaucocaerulea - azulinho
            • Amaurospiza moesta - negrinho-do-mato*
              • Em Santo Ângelo, a espécie já foi registrada em um capão de mato na Granja do Sossego, tendo sido descoberta por Paulo B. Rodrigues (Meller 2017).

            Fringillidae (3+1B)
            • Spinus magellanicus - pintassilgo
            • Euphonia chlorotica - fim-fim
            • Euphonia chalybea - cais-cais (Documentação nova)
              • Embora tenha sido incluída nos mapas de Belton (1994), só em fevereiro de 2018 foi registrada novamente no município, quando foi ouvida em uma mata à beira do rio Ijuí, no distrito Atafona (DAM obs. pess.). Em abril de 2019 um cais-cais foi ouvido nas matas do rio Comandaí, acima da cascata, no lado de Giruá (DAM). Em maio de 2020 DAM e A. Callegaro encontraram um casal à beira do Rio Ijuí no distrito Atafona. Na ocasião a espécie foi gravada e seu canto publicado no site WikiAves (link para gravação).
            • Euphonia cyanocephala - gaturamo-rei*
              • Além de já ter sido registrada no Rancho LM, em julho de 2010 (Meller 2017), no período do inverno de 2017 foi ouvida diversas vezes nas proximidades do Parque Natural Municipal (DAM). Em maio e junho de 2018 foi registrada diversas vezes no município novamente, tendo sido fotografada pela primeira vez (DAM obs. pess.).
            Gaturamo-rei fotografado na Zona Norte de Santo Ângelo. Foto: DAM.

            Passeridae (1)
            • Passer domesticus - pardal
            _________________________________________________________________________________

            Riqueza total: 310 (+1?)
            Registros do Grupo Ave Missões: 307
            Registros do Grupo Ave Missões descobertos após Belton (1994): 164
            Registros exclusivos de Belton (1994): 3 (+1?)
            Espécies ameaçadas: 14 (5 En + 9 Vu)
            Espécies quase ameaçadas: 9 (+1?)
            Espécies deficiente em dados: 3
            Espécies documentadas no WikiAves: 300
            Espécies sem documentação: 10 (+1?)
            _________________________________________________________________________________

            Referências


            Belton, W. (1994) Aves do Rio Grande do Sul, distribuição e biologia. São Leopoldo: Unisinos. 584 p.

            Bencke, G.A.; C.S. Fontana; R.A. Dias; G.N. Maurício e J.K.F. Mähler, Jr. (2003) Aves, p. 189-479. Em: Fontana, C.S.; G.A. Bencke e R.E. Reis (eds) Livro vermelho da fauna ameaçada de extinção no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: EDIPUCRS.

            Bencke, G.A.; R.A. Dias; L. Bugoni; C.E. Agne; C.S. Fontana; G.N. Maurício; & D.B. Machado (2010) Revisão e atualização da lista das aves do Rio Grande do Sul, Brasil. Iheringia, Série Zoología 100: 519-556.

            Franz, I; C.E. Agne; G.A. Bencke; L. Bugoni e R.A. Dias (2018) Four decades after Belton: a review of records and evidences on the avifauna of Rio Grande do Sul, Brazil. Iheringia, Série Zoología 108: 1-38.

            Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul (2014) Lista da Fauna Ameaçada de Extinção no RS. Disponível em: < http://www.fzb.rs.gov.br/upload/2014090911580809_09_2014_especies_ameacadas.pdf>.

            Marchiori, J. N. C. (2002) Fitogeografia do Rio Grande do Sul: enfoque histórico e sistemas de classificação. Porto Alegre: Edições EST, 118p.

            Meller, D.A. (2011) Aves da Capital das Missões. Santo Ângelo: FuRI. 62 p.

            Meller, D.A. (2017) Capítulo III: Lista Comentada das Aves da Região Noroeste do Rio Grande do Sul, p. 156-200. Em: Meller, D.A. (ed). Aves da Região Noroeste do Rio Grande do Sul. Tenondé, São Miguel das Missões.

            Pastore, U. e Rangel Filho, A. L. R. (1986) Vegetação. As regiões fitoecológicas, sua natureza, seus recursos econômicos. Estudo fitogeográfico. In: IBGE. Folha Uruguaiana. Rio de Janeiro, p. 541-632.

            Piacentini, V.Q. et al. (2015) Annotated checklist of the birds of Brazil by the Brazilian Ornithological Records Committee / Lista comentada das aves do Brasil pelo Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos. Revista Brasileira de Ornitologia, 23(2), 91-298.

            Teixeira, M. B. e Coura Neto, A. B. (1986) Vegetação. As regiões fitoecológicas, sua natureza, seus recursos econômicos. Estudo fitogeográfico. In: IBGE. Folhas Porto Alegre e Lagoa Mirim. Rio de Janeiro, p. 541-632.

            Como citar esta lista

            Meller, D.A. (2021) Projeto Ave Missões: Lista Comentada das Aves de Santo Ângelo-RS. Disponível em: Acesso em: [data do acesso].

            ---------------------------------------------------------------------------------

            Veja também

            Lista Comentada das Aves da Região Noroeste do Rio Grande do Sul

            ---------------------------------------------------------------------------------

            4 comentários:

            1. Trabalho fantástico, Dante! Importantíssimo mante-lo atualizado! Parabéns!

              ResponderExcluir
            2. Trabalho árduo e minucioso. Parabéns, não é pra qualquer um! De minha parte, fico feliz por ter contribuído com um novo registro.

              ResponderExcluir
            3. Parabéns pelo excelente trabalho. Que cada ano possa melhorar e registrar mais espécies.

              ResponderExcluir