Projeto Ave Missões: Pesquisa, Educação Ambiental e Conservação com Aves da Região Noroeste do Rio Grande do Sul

terça-feira, 30 de maio de 2017

Revisitando Cruz Alta - 2017

* por Dante Andres Meller
Cisqueiro (Clibanornis dendrocolaptoides).
Foto: Paulo B. Rodrigues.
Com 260 espécies registradas, Cruz Alta é o nono município gaúcho em riqueza de aves até o momento no WikiAves.

Há cerca de 3 anos nosso grupo visita o local, mas os méritos das descobertas são mesmo dos anfitriões cruzaltenzes, Charles Boufleur e Pedro Sessegolo.

Esse ano a saída para Cruz Alta estava marcada há mais de dois meses, mas a semana chuvosa trouxe um ar de incerteza a nós passarinheiros: ir ou não ir? eis a questão...


A impermanência do clima é algo que simplesmente temos que aceitar. Quando marcamos uma saída para passarinhar, um dos maiores dilemas é justamente o chove/não chove. Confesso que essa insegurança climática me traz certa admiração. Depois de tantos e tantos sucessos ornitológicos sob "tempo ruim" concluí que a imprevisibilidade do tempo não é algo tão determinante assim, em se tratando de passarinhar. Ou seja, um "bom tempo" não necessariamente define uma boa passarinhada. É claro que muito vento, ou chuva torrencial, atrapalham... mas mesmo um lindo dia ensolarado pode ser frustrante em termos de quantidade e qualidade de registros. As aves têm padrões de atividade em grande parte ainda incompreensíveis e não podemos perder a chance de vê-las por causa de nossas inseguranças em relação ao tempo.

Grupo Ave Missões em Cruz Alta. Foto: Márcia Koch.

Banhados I

Após partirmos de Santo Ângelo e nos encontrarmos com o guia local cruzaltense, nosso amigo Pedro Sessegolo, sua esposa Ingrid e seu filho Fernando, fomos em direção ao objetivo do dia: as aves de Cruz Alta! Logo de cara, e possivelmente o registro mais significativo do dia, um cisqueiro deu a largada à nossa lista de espécies, deixando muito claro que teríamos um bom dia pela frente!

Cisqueiro (Clibanornis dendrocolaptoides) em Cruz Alta. Foto: Ataiz C. de Siqueira.

Logo após, em um banhado na várzea das matas do riacho onde o cisqueiro estava, haviam diversas espécies interessantes, a começar pelas tesouras-do-brejo e os veste-amarelas, em uma associação sempre admirável de se observar.

Associação entre tesoura-do-brejo (Gubernetes yetapa) e veste-amarela (Xanthopsar flavus) em Cruz Alta. Foto: DAM.

A seguir fomos contemplados com o canário-do-brejo, que representava lifer para alguns de nós, incluindo eu. Além do mais, outras aves típicas de banhado e capoeirais também apareceram, como a choca-de-chapéu-vermelho, o tico-tico-rei e o joão-teneném. Pouco depois também um tico-tico-do-banhado dava as caras...

Canário-do-brejo (Emberizoides ypiranganus) em Cruz Alta. Foto: DAM.

Choca-de-chapéu-vermelho (Thamnophilus ruficapillus) em Cruz Alta. Foto: Paulo B. Rodrigues.

Tico-tico-rei (Coryphospingus cucullatus) em Cruz Alta. Foto: Paulo B. Rodrigues.

João-teneném (Synallaxis spixi) em Cruz Alta. Foto: Paulo B. Rodrigues.

Tico-tico-do-banhado (Donacospiza albifrons) em Cruz Alta. Foto: Ataiz C. de Siqueira.

Fazenda Boqueirão

Já na Fazenda Boqueirão, fomos em direção a outro tipo de ambiente, agora eram as aves das matas que nos interessavam. O fato é que esse ambiente não iria render tanto como os banhados, mas talvez sendo melhor explorado possa revelar registros interessantes também. Acabamos por fotografar tão somente espécies comuns, como a borboletinha-do-mato, ainda que tenhamos avistado algumas tiribas.

Borboletinha-do-mato (Phylloscartes ventralis) em Cruz Alta. Foto: Paulo B. Rodrigues.

Antes de irmos embora do local, um pequeno contratempo: um dos carros atolou! Sorte que, após algum esforço, conseguimos tirar, não sem alguns integrantes se sujarem bastante (Eu e o Fernando). O esforço foi duplamente recompensado, tendo eu recebido roupas limpas emprestadas e sendo presenteado com um Ballantines pelo amigo Pedro Sessegolo. =D

Atolamento do carro na Fazenda Boqueirão em Cruz Alta. Foto: Márcia Koch.

Banhados II

Ao sair da fazenda, novamente paramos em área úmidas, onde encontramos espécies que ainda não havíamos visto durante o dia, incluindo narcejas, e diversas marrecas, como a marreca-de-coleira.

Narceja (Gallinago paraguaie). Adaltro C. Zorzan.

Marreca-de-coleira (Callonetta leucophrys). Foto: DAM.

Jardim dos Sessegolos

Após o almoço fomos visitar a casa dos Sessegolos, onde além de desfrutarmos da grande hospitalidade da família, com saborosos doces preparados pela Ingrid, ainda fomos agraciados pela presença de uma saíra-preciosa, que rendeu belas fotos!

Saíra-preciosa (Tangara preciosa). Foto: Paulo B. Rodrigues.

Foi uma saída muito agradável, não só pelas espécies interessantes que observamos, mas também pela acolhida dos amigos cruzaltenses, a quem agradecemos de coração. Também agradecemos e parabenizamos o amigo Charles, que tirou tempo para nos encontrar e nos levar conhecer sua casa e sua linda filhinha!

E sobre ir ou não ir passarinhar por causa do tempo... foram cerca de 80 espécies de aves observadas ao longo do dia (veja lista) - choveu passarinhos, ainda bem que fomos!

Grupo Ave Missões em Cruz Alta. Foto: Márcia Koch.

---------------------------------------------------------------------------------
Veja também:

---------------------------------------------------------------------------------

15 comentários:

  1. Ainda bem que fomos mesmo, Dante! E nenhuma espécie nova pro município!!! Heheheheheheheheeeeee....

    ResponderExcluir
  2. Certamente, tomamos a decisão acertada!! Enfrentamos o mau tempo e fomos recompensados!! Foi um grande dia!! Parabéns pelo post...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Adaltro, sim, valeu a pena mesmo! Abraço

      Excluir
  3. Foi uma grande alegria recebe-los por aqui e mesmo que não tenha vindo nenhum Lifer para Cruz Alta ficamos mais contentes ainda em oferecer registros novos para os nossos amigos missioneiros.Passarinhar na chuva.... porque não? Belo relato Dante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pela acolhida e por nos guiar em CA Pedro, tivemos belos registros mesmo. Grande abraço!

      Excluir
  4. Fantástico relato como sempre! Parabéns amigo.

    ResponderExcluir
  5. Que massa! Esses relatos são show!! Parabéns pessoal!

    ResponderExcluir
  6. Ricardo O. de Oliveira30 de maio de 2017 18:36

    Parabéns a todos, O homem é superior ao tempo. Os passarinheiros mais ainda. Belo relato como sempre Dante. Grande abraço...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehe... bem observado Ricardo! Grande abraço!

      Excluir
  7. Belos registros e ótimas fotos, parabéns ao grupo!!! Grande relato!

    Ass.:Lucas N de Porto Alegre - RS

    ResponderExcluir