Projeto Ave Missões: Pesquisa, Educação Ambiental e Conservação com Aves da Região Noroeste do Rio Grande do Sul

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Turvo 2019

Casal de uirapuru-laranja em cópula.
Foto: Pedro Sessegolo.
*por Dante Andres Meller
Nossa saída para o Turvo ocorre, tradicionalmente, no mês de setembro.

Esse ano, porém, devido ao II AvisTchê, tivemos que transferir a saída para outubro.

Embora seja apenas um mês de diferença, o resultado é um tanto perceptível aos nossos olhos.

O excessivo calor do tempo pré-chuva prejudicou um pouco as observações, mas tivemos bons resultados mesmo assim.

domingo, 29 de setembro de 2019

II AvisTchê - encontro de observadores de aves gaúchos nas Missões

*por Dante Andres Meller
O Avistar é um evento fantástico, e que faz parte parte da história da formação do Ave Missões, seja indiretamente através de participantes que contribuíram inicialmente, como diretamente pela nossa participação em edições do evento e os benefícios provenientes disso.

Quis o destino que cerca de 10 anos da formação do nosso grupo, pudéssemos sediar a versão gaúcha deste encontro de observadores de aves, o AvisTchê.

O local escolhido não poderia ser outro, São Miguel das Missões, e o resto dessa história só quem esteve lá pode contar, a minha versão eu transcrevo a seguir.

domingo, 22 de setembro de 2019

Uiraçu: o ressurgimento após cem anos de extinção no RS!

Uiraçu no Parque Estadual do Turvo.
Foto: Dante Andres Meller.
* por Dante Andres Meller
É como se um raio caísse duas vezes no mesmo lugar, mas de maneira ainda mais impactante.

O fato já havia acontecido com a harpia, há 4 anos atrás, e agora se repete com o uiraçu.

Observar um uiraçu na natureza é um sentimento surreal, e não fossem as imagens para reafirmar, parece que a observação manteria um ar contínuo de "será mesmo que aconteceu!?"

domingo, 11 de agosto de 2019

Um gosto de ‘’quero mais’’

Piolhinho-verdoso.
Foto: Adaltro C. Zorzan.
*por Gabriel Brutti
Santa Rosa estava na agenda dos avemissioneiros para 2019, um grande prazer para nós conterrâneos poder receber o grupo em um dos lugares mais especiais que nossa terra reserva aos amantes da natureza, em especial aos observadores de aves.

Uma honra misturada com desafio para mim, Gabriel, ter a responsabilidade e a inspiração de descrever em palavras um momento tão especial vivido juntamente com os companheiros que migraram de Santo Ângelo a Santa Rosa domingo de manhã cedinho para nos acompanhar em mais uma aventura. 

O grupo ave missões foi recebido de braços, ou melhor dizendo, de asas abertas em nossa cidade.

terça-feira, 2 de julho de 2019

Tudo terminou como começou...

Águia-serrana. Foto: ACZ.
* por Adaltro C. Zorzan

Enfim chegou a hora de voltar para a Fronteira Oeste, que é um dos destinos mais aguardados na agenda do Ave Missões. Afinal, é lá que fica o Parque Estadual do Espinilho, com suas aves típicas, e os campos de Uruguaiana, que costumam favorecer a observação e a fotografia de aves. 

Por diferentes motivos, muitos avemissioneiros não puderam participar da saída e coube a mim, ao Paulo e à Márcia a responsabilidade de representar o grupo. A mim ainda tocou a honra de escrever o relato no blog, tarefa que cumpro sem a pretensão de igualar nosso amigo Dante, autor sempre tão inspirado. Além dos ambientes e das aves, animava os viajantes a chance de rever os amigos Ricardo, Gina, Dani e Gabriel.

terça-feira, 21 de maio de 2019

Guarita 2019 - Já estava bom, mas agora parece que melhorou!

Gavião-pato na TI do Guarita. Foto: DAM.
* por Dante Andres Meller
Começou bem, com uma corujada que rendeu um lifer para vários integrantes na sexta-feira à noite.

Depois, com um dia cheio de registros interessantes na trilha do taquaral, o sábado ficou ainda melhor.

Já estava bom, mas no fim parece que ficou ainda melhor, com a visita de um casal de pica-pau-reis no café da manhã, além de outros registros interessantes na trilha de domingo.

terça-feira, 30 de abril de 2019

Garruchos Manuã

Tucanuçu. Foto: DAM.
*por Dante Andres Meller
Rodeado de expectativas, Garruchos é um local pouco visitado por observadores e, portanto, pouco conhecido em relação à sua avifauna.

O município possui fama ornitológica originária das visitas do renomado William Belton, ornitólogo americano que nos anos 70/80 fez registros relevantes no local, incluindo duas espécies que no estado não foram mais encontradas desde aqueles tempos, o peixe-frito-verdadeiro e o barranqueiro-de-olho-branco.

Além disso, várias espécies raras ou ausentes da lista do RS possuem ocorrência em áreas adjacentes argentinas, alimentando ainda mais o imaginário das possibilidades aladas.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Fevereiro, fevereiro, fevereiro...

*por Dante Andres Meller
João-bobo filhote em Independência.
Foto: DAM.
Independência foi o município escolhido para a saída de fevereiro, mais especificamente a localidade Esquina Araújo, em um fragmento florestal que chamamos aqui de Mata da Esquina Araújo.

Em meio à paisagem agrícola, essa mata se destaca pelo tamanho que tem, com mais de 100 ha, assim como pelo porte de suas árvores, representadas em sua expressão máxima por impressionantes grápias, canafístulas, ipês, cedros, canjaranas etc.

Do pouco que conhecemos dessa mata, já temos bons motivos para incluí-la em nossas passarinhadas, uma vez que espécies interessantes têm aparecido, sendo o patinho a descoberta da vez.

O entorno também têm seus atrativos e, embora não encontramos a fogo-apagou que ocorre na área, uma família de joão-bobos encerrou a passarinhada cantarolando sucessivamente em dueto, de modo a lembrar o mês de nossa saída.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Agenda 2019

*por Dante Andres Meller e Grupo Ave Missões
Miudinho fotografado em São Paulo
das Missões. Foto: Cláudio Furini.
Após reunião de planejamento com integrantes do grupo, definimos a agenda das saídas a campo de 2019.

É interessante destacar que, além de saídas clássicas como o PE do Turvo, o PE do Espinilho e a TI do Guarita, também optamos por locais ainda não visitados pelo grupo, como Independência, Rolador e Santa Rosa.

O ano já começou com a tradicional saída em janeiro para São Paulo das Missões e pretendemos encerrá-lo com a confraternização comemorativa de 10 anos do grupo!

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

São Paulo da chuva boa

Urutau. Foto: Adaltro C. Zorzan.
*por Dante Andres Meller
Um lugar para voltar a ser criança, procurar passarinhos e confraternizar com amigos.

Um lugar para tomar banho de chuva, sentir o vento nos morros e adormecer no silêncio das noites estreladas.

Uma vez por ano parece pouco, mas é o suficiente para reservar a São Paulo das Missões um lugar seguro em nossos corações.

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Retrospectiva 2018

* por Dante Andres Meller
2018 foi um ano muito interessante para o nosso grupo.

Além das tradicionais saídas mensais para observação, que neste ano foram 9, sediamos também um encontro do Coas-RS, em São Miguel das Missões, e fizemos uma versão piloto, somente para integrantes do grupo Ave Missões, de um Baita Ano.

O ano foi muito bom, mas 2019 promete também, sobretudo pelo Avistchê a ser realizado em setembro em São Miguel das Missões, e já adianto que 2020 está se ajeitando para ser outro Baita Ano...


quarta-feira, 21 de novembro de 2018

O último campo

* por Dante Andres Meller
Gavião-do-banhado observando
uma ananaí ao fundo. Foto: Gabriel Brutti.
A última saída a campo deste ano com o grupo Ave Missões foi justamente no último campo extenso de Santo Ângelo, a Cascata do Comandaí.

Contemplar a beleza das quedas d'água, caminhar pelos louros campos de barba-de-bode e, no banhado da patativa, vibrar com as possibilidades aladas que podem aparecer são alguns dos pontos altos que a capital missioneira tem a oferecer.

Poder compartilhar as riquezas naturais com os amigos de casa e, melhor ainda, apresentá-las aos de fora é algo muito gratificante... eu diria que é mais que um lifer, eu diria que isso é VIVER.

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Participação no 1º Censo de Rapinantes Paranaense

Carcará em araucária no RVS dos
Campos de Palmas. Foto: DAM.
* por Dante Andres Meller
Neste último sábado aconteceu o 1° Censo Simultâneo de Aves de Rapina nos Campos Gerais Paranaenses.

A organização foi uma iniciativa do Instituto Neotropical e do site Aves de Rapina Brasil, com apoio do IAP, Museu de História Natural Capão da Imbuia e Parque das Aves.

A participação minha e do colega Alfieri foi para incluir o sul do Paraná no levantamento, mais especificamente os campos da região de Palmas, onde ocorrem espécies importantes para a conservação, como a águia-cinzenta.

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

De volta ao Turvo 2018

* por Dante Andres Meller
Pica-pau-rei macho. Foto: DAM.
Me pergunto se é possível em uma só vida tudo ver e saber sobre os mistérios que acobertam-se sob uma floresta?!

Peca quem nada mais espera vivenciar do vasto verde que tamanha bonança traz, caindo em desinteresse e desatenção, estes, inimigos da boa vida e proveitosa observação de aves.

No profundo de uma floresta preservada, ver, ouvir e sentir é crucial! O momento raro, raríssimo!, pode acontecer a qualquer instante. E tudo que precisamos fazer é esperar pelo desvelar da vida.

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Nonoai: uma primeira impressão

* por Dante Andres Meller
Olho-falso. Foto: DAM.
Dizem que a primeira impressão é a que fica.

Em relação à intrigante Terra Indígena de Nonoai, que em outros tempos já foi parque, a primeira impressão foi impressionante! (com o perdão do trocadilho)

Essa área, composta por cerca de 16 mil hectares de um misto de Mata do Alto Uruguai e Mata de Araucária, contém muitas espécies interessantes para os amantes da avifauna, e provavelmente muitas ainda a serem descobertas...

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Por quem cantam os cardeais?

*por Dante Andres Meller
Cardeal-amarelo macho. Foto: DAM.
Na vida, precisamos de refúgios. É do ser humano o necessitar espairecer, desligar. Parece fácil, mas tornamos difícil essa simples tarefa.

No garrão gaúcho-brasileiro, seja pelos vastos campos abertos ou entre as emaranhadas savanas de espinilho, a longitude da paisagem nos afasta de tudo e nos reaproxima de nós mesmos.

É um lugar especial, com jeito característico da tríplice fronteira, e que mais uma vez acolheu estes missioneiros para uma saída de observação.

Em relação às aves, o dito da canção é muito acertado: "Não conhece o Rio Grande, quem não foi a Uruguaiana".

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Contra todas as expectativas...

Saíra-de-chapéu-preto macho. Foto: DAM.
* por Dante Andres Meller
Primeiro, a chuva forçou a antecipação da saída para sábado e não domingo, como estava previsto, impedindo a participação de alguns avemissioneiros...

Segundo, contratempos gerados pela dificuldade de contato com a comunidade local, como a falta do almoço tradicional e a trilha bastante fechada pela vegetação.

Terceiro, as intempéries do tempo, representadas pela densa serração na manhã e pelo forte vento à tarde.

Mesmo assim, os contratempos foram contornados e uma série de registros interessantes confirmou a Trilha das Três Bocas, em Porto Mauá, como um baita lugar para passarinhar.

terça-feira, 5 de junho de 2018

Sobre a ocorrência da noivinha-branca e da lavadeira-mascarada para o RS

* por Dante Andres Meller
Seja como for, espécies novas sempre geram uma emoção ao serem descobertas.

Ainda nos dias atuais, muitas aves continuam a ser registradas pela primeira vez em municípios, estados e mesmo países.

Por diferentes razões acontece, seja por subamostragem, ocorrência acidental ou avanço de distribuição.

Compartilhamos aqui sobre duas aves recentemente adicionadas à avifauna gaúcha, a noivinha-branca e a lavadeira-mascarada.

sábado, 2 de junho de 2018

Ave Missões e Planalto Médio na terra de Érico Veríssimo

Mergulhão-de-orelha-branca em Cruz Alta.
Foto: DAM.
* por Dante Andres Meller
Um bom contador de histórias saberia falar do tempo das sesmarias, dos outrora extensos campos de barba-de-bode cruzaltenses...

Um bom contador de histórias, nem que por um instante, traria com suas palavras a atmosfera de um tempo que foi para não mais voltar...

Não sou um bom contador de histórias, sei apenas do tempo de minhas vivências, com a certeza de que vento algum poderá soprá-las para longe daqui.