Projeto Ave Missões: Pesquisa, Educação Ambiental e Conservação com Aves da Região Noroeste do Rio Grande do Sul

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Encontro com um mamífero "ex-tinto" no RS

Existem duas espécies de porcos nativas do Rio Grande do Sul, ambas encontradas no Parque Estadual do Turvo [1]. A maior delas é o queixada (Tayassu pecari); enquanto a menor, o cateto (Pecari tajacu). O primeiro ocorre em varas de até 200 indivíduos; o outro, no máximo 50. Entre as diferenças de aparência, note que o queixada tem o focinho relativamente longo e uma mancha branca bastante conspícua ao longo de toda a mandíbula; já o cateto tem o focinho mais curto e uma faixa branca que sobe pelo pescoço até as espáduas [2].


Queixada (Tayassu pecari), espécie "Criticamente em Perigo" de extinção no RS [3]. Foto: D. Meller.

Cateto (Pecari tajacu), espécie "Em Perigo" de extinção no RS [3]. Foto: D. Meller.

Eu já havia tido a oportunidade de encontrar o cateto várias vezes no Parque Estadual do Turvo (uma delas na foto acima), mas há poucos dias um encontro com o queixada foi inesperado e emocionante (veja a primeira foto, o relato e o vídeo abaixo). 

"Quando me perguntaram se eu queria fotografar uns porcos que haviam saído do mato, em plena luz do dia, não dei muita bola, mas topei é claro, achando que eram catetos... Fui bem lentamente até o local, olhando as aves, como de praxe. Quando cheguei me surpreendi com o tamanho do grupo - cerca de 60 a 70 animais! Após escutá-los batendo dentes, avistá-los correndo da lavoura pro mato e fotografar um retardatário bem no sol e no limpo, me restaram poucas dúvidas de quem se tratava."

Por via de dúvidas, encaminhei a foto e o relato aos organizadores da atualização da Lista Vermelha do Rio Grande do Sul, como uma certificação da atual ocorrência do mamífero em solo gaúcho.

Vídeo feito por Maicon Elsenbach

O Parque Estadual do Turvo é considerado o último reduto de queixadas no estado, sendo que a proteção de suas populações consta como um dos objetivos específicos da unidade de conservação [1]. Enquanto o cateto foi considerado frequente em um estudo recente nesta área, o queixada chegou a ser considerado localmente extinto [4]. No plano de manejo, já é observado que devido aos hábitos alimentares as duas espécies saem do parque e podem entrar em conflito com moradores de seu entorno, o que levou a reduções na população de queixadas no passado [1].

A conservação dos mamíferos de médio e grande porte do Parque está fortemente associada à preservação do “Corredor Verde de Misiones”, que provavelmente representa uma área fonte para diversas espécies [4].

Agradecimento especial à família Elsenbach, que sempre me ajudam nas andanças por Derrubadas e Tenente Portela!
Dante Andres Meller

Referências

[1] Silva, C.P.; J.K.F. Mähler Jr; S.B. Marcuzzo e S. Ferreira. (2005) Plano de manejo do Parque Estadual do Turvo. Porto Alegre, Secretaria Estadual de Meio Ambiente, 355p.

[2] Reis, N.R.; Peracchi, A.L.; Fregonezi, M.N. & Rossaneis, B.K (2010). Mamíferos do Brasil: Guia de identificação. Technical Books Editora.

[3] Fontana, C.S.; G.A. Bencke e R.E. Reis (2003) Livro Vermelho da Fauna Ameaçada de Extinção no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Edipucrs.

[4] Kasper, Carlos B.; F. D. Mazim; J. B. G. Soares et al. (2007) Composição e abundância relativa dos mamíferos de médio e grande porte no Parque Estadual do Turvo, Rio Grande do Sul, Brasil. Rev. Bras. Zool. 24 (4): 1087-1100.

8 comentários:

  1. "Passarinhada" de peso essa, hein Dante ? Maravilha de registro, parabéns !!!

    ResponderExcluir
  2. Que maravilha. Fiquei feliz com a noticia.
    Lembro de ter lido em algum lugar que em Bom Jesus haviam ainda alguns e que em Derrubadas um ultimo bando havia sido abatido.
    Sorte a espécie e parabéns pelo registro!

    j-marcelo

    ResponderExcluir
  3. Que demais!Como os queixadas são grandes! Que emoção ver esta manada!Maravilha!

    ResponderExcluir