Projeto Ave Missões: Pesquisa, Educação Ambiental e Conservação com Aves da Região Noroeste do Rio Grande do Sul

sábado, 14 de março de 2015

Turvo Maravilha, nós gostamos de você!

Murucututus-de-barriga-amarela.
* por Dante Andres Meller

...Mesmo que me faltem palavras para descrever as maravilhas presenciadas nestes últimos dias no Parque Estadual do Turvo, sinto que preciso compartilhar a experiência.

Dizem que uma imagem vale mais do que mil palavras, então na esperança de que a experiência contada expresse mais do que mil imagens, relato alguns encontros, sensações e pensamentos...

Bom, acredito que umas poucas imagens e algumas palavras vão ser úteis também...

Se me permitirem, gostaria de começar com uma breve reflexão: O que é maravilhar-se?

Essa reflexão eu faço porque depois de tanto me sentir maravilhado com as coisas que o Turvo proporciona me dei conta que é muito acertado o Salto do Yucumã ser considerado uma das sete maravilhas do Rio Grande do Sul. Ao contemplar a paisagem do Salto é fácil se sentir maravilhado. Apesar do Salto ser o carro-chefe do parque, a verdadeira riqueza está em toda sua biodiversidade, sendo o mais acertado considerar o Turvo todo como uma maravilha.

Salto do Yucumã, uma das sete maravilhas do Rio Grande do Sul. Foto: D. Meller.

O Turvo Maravilha, então, proporcionou momentos marcantes à minha vida nestes últimos dias. Não podia ser diferente para alguém que aprecia a natureza. Ver animais raros e de beleza encantadora gera em muitas pessoas aquela sensação de momento especial, único. Momentos de encher o coração, olhar pra cima e agradecer. Parece exagero, mas o sentimento de maravilhar-se tem essa repercussão. E quanto ao Turvo e os últimos dias, só posso dizer que tive que interromper a escrita dessa postagem para fazer a foto dos dois murucututus lá de cima... Entendem o que to querendo dizer?

Bom, voltando ao começo dos momentos maravilhosos dos últimos dias, de largada o animal mais emblemático do parque deixou sua marca pra todo mundo ver: pegadas enormes impressas na terra molhada pela chuva! Só um animal poderia ter deixado aquele rastro. Um animal poderoso e temido, mas ao mesmo tempo respeitado e admirado, a onça-pintada! E olha que ir fotografar esse rastro de noite e sozinho faz a gente ter noção do que é sentir medo...

Pegadas de onça-pintada na estrada que leva ao Salto do Yucumã. Foto: D. Meller.

Os encontros foram acontecendo, um após outro, mas num dia desses eles vieram numa paulada só! Estávamos sentados embaixo de uma figueira quando uma série de aves coloridas, incluindo tucanos, araçaris, pavós, surucuás, anambés, tiribas e a mais incrível de todas, a jacutinga, vieram se alimentar de seus pequenos figos. Um bando misto pra ninguém botar defeito...

Jacutinga (Aburria jacutinga) no Parque Estadual do Turvo. Foto: D. Meller.

Agora imagina o rebuliço que um gavião-pato causou ao investir contra a passarada nessa figueira... Era ave voando pra tudo que é lado! No fim das contas ficou solito o gavião, meio decepcionado com o bote errado. Mas tranquilo, era um gavião jovem ainda, tem muito o que aprender na vida...

Gavião-pato (Spizaetus melanoleucus) momentos após investir contra passarada numa figueira. Foto: D. Meller.

Depois de tudo isso fomos tomar um mate, pra ver se acalmava os ânimos um pouco... Foi quando um funcionário grita: "olha lá a lagartixa que não tem registro no parque!" Buenas, a tal lagartixa fez a gente até esquecer da hora do mate... É incrível como um bichinho tão pequeno pode entreter-nos de forma tão divertida.

Lagartixa-das-uvas (Anisolepis grilli) no Parque Estadual do Turvo. Foto: D. Meller.

Alguns animais são tão difíceis de ver, mas tão difíceis, que mesmo que habitemos uma área onde eles ocorrem podemos passar anos sem os encontrar. Algumas aves tem esse status, e para alimentar nossas expectativas, no Turvo tem várias dessas aves!

...A tarde ia caindo e resolvi descer pra ver o Salto do Yucumã. Ao chegar no local, o guarda-parque Selfredo me perguntou: "e o penacho, não viu mais?" Parece brincadeira, mas na mesma hora o bicho passou voando sobre nossas cabeças, cruzando a clareira da área de lazer do Salto e descendo rente à copa das árvores em direção ao Salto. Haja coração! Como eu não estava ali de varde, fui atrás dele. O resultado foi que me sujei tudo, me molhei nas corredeiras d'água e me lanhei nos sarandis do lajedo do Salto, tudo pra tentar encontrar e registrar o tal bichano. O coração estava a mil, adrenalina pura! O gavião-de-penacho também não estava ali de bobeira, e logo revelou suas intenções ao tentar pegar uma garça-branca-pequena que estava pousada nos lajedos do Salto. A garça escapou, e o gavião, meio desolado, resolveu se refrescar um pouco nas corredeiras do Salto... Que tal?!

Gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus) bebendo água nos lajedos do Salto do Yucumã. Foto: D. Meller.

Olha... teve mais, mas vou parar por aqui pra não passar por mentiroso. A intenção, na verdade, é só estimular a contemplação e a conservação da natureza. O que posso afirmar, através de minha própria experiência, é que os efeitos adquiridos são benéficos demais. Mas o que exatamente recebemos ao fazer isso? Acho que é pouco o muito que poderia ser dito, e não tenho a pretensão de listar benefícios aqui. Uma coisa, porém, não posso deixar de lembrar: é preciso gratidão! E parece que nunca agradecemos o suficiente... É tanto o bem que recebemos...

Ao Turvo Maravilha, portanto, só resta meu muito obrigado! E se, por um acaso, um dia tiver um pedido, direi assim:

Turvo Maravilha, faz harpia a gente ver!!!

---------------------------------------------------------------------------------
Veja também:

Parque Estadual do Turvo
Encontro de passarinheiros no Turvo 2014
A última hora no Parque Estadual do Turvo
---------------------------------------------------------------------------------

18 comentários:

  1. Dante amigo, só posso te dizer uma coisa: obrigado por compartilhar suas vivencias aí neste paraíso... ... grande abraço!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas palavras amigo Paulo!!! Um forte abraço!

      Excluir
  2. Muito legal, Dante. É sempre bom ver estas belas imagens aí do Turvo. Abraço
    Rafael Ritter

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelos belos registros nesta área tão importante para conservação da biodiversidade.

    ResponderExcluir
  4. Ótima postagem , que lugar lindo , ainda vou conhece-lo ... Parabéns , belas fotos e excelente texto !!! Incrível relato do ataque do Gavião-pato , até posso imaginar a fuga do bando misto , que por sinal tinha algumas de minhas espécies favoritas . Ass.:Lucas N Porto Alegre - RS

    ResponderExcluir
  5. Que buen retorno! que especies más espectaculares viste y fotografiaste en libertad, como las Spizaetus, solo las vi en cautiverio en Güira Oga.
    Saludos

    ResponderExcluir
  6. Post sensacional. Parabéns pela disposição de mostrar e incentivar as pessoas o que temos de mais belo na natureza.

    ResponderExcluir
  7. Coisa linda Dante! é sempre um prazer, alegria e inspiração ler os teus posts! Grande abraço! Saudades de vocês e do Turvo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Miguel!!! Saudades de vocês tbm! Um grande abraço desde as Missões!

      Excluir
  8. Oi Dante, belíssimos registros parabéns

    ResponderExcluir
  9. Respostas
    1. Muito obrigado Renato, que bom que estás gostando! Abraço

      Excluir