Projeto Ave Missões: Pesquisa, Educação Ambiental e Conservação com Aves da Região Noroeste do Rio Grande do Sul

sábado, 20 de junho de 2015

Cerro Largo das Aves

Lago da UHE São José, em Cerro Largo.
* por Dante Andres Meller
Justamente num dos dias mais frios do ano resolvemos sair pra passarinhar...

Decidimos visitar o município de Cerro Largo, com a intenção de explorar três locais em particular, já conhecidos por alguns de nós.

Como objetivo projetávamos encontrar a pomba fogo-apagou numa tapera em área rural, o arapaçu-de-bico-torto em um fragmento florestal e, se desse tempo, biguatinga e graveteiro no entorno do lago da UHE São José.

O dia começou com um frio de espantar qualquer um... Típico do inverno sulino! Os campos eram brancos de geada, e das águas levantava uma serração que lembrava a água quente do mate que tomávamos para aguentar...

Campos esbranquiçados de geada em Cerro Largo, RS. Foto: D. Meller.

No começo parecia que tínhamos errado o pulo... Até a passarada estava meio encarangada de frio!

Pica-pau-do-campo (Colaptes campestris). Repare a estria malar (bigode) avermelhada, indicando que se trata de um macho. Foto: D. Meller.

Mas, já diz o ditado: Serração que baixa... E aos poucos o sol dissipou aquela espécie de névoa, esquentando o ambiente e animando a passarada!

Bando de maitacas (Pionus maximiliani). Foto: D. Meller.

Jaçanãs (Jacana jacana) adultas e jovem, realizando exibições territoriais. Foto: D. Meller.

No fim das contas, a passarinhada matinal rendeu bastante, fechando ao meio-dia com cerca de 80 espécies observadas! Apesar de ouvirmos três indivíduos de fogo-apagou, elas se mantiveram ariscas e não apareceram para serem clicadas por mim e pelos amigos Paulo e Alfieri. Já havíamos clicado ela nesse local em outra ocasião, mas nesse dia tivemos que nos contentar mesmo com outras espécies que iam aparecendo...

Fogo-apagou (Columbina squammata) fotografada em fevereiro em Cerro Largo. Foto: D. Meller.

Fim-fim (Euphonia chlorotica) macho. Foto: D. Meller.

Azulinho (Cyanoloxia glaucocaerulea) macho. Foto: D. Meller;

Benedito-de-testa-amarela (Melanerpes flavifrons) macho. Foto: Paulo B. Rodrigues.

Partimos para o segundo ambiente, uma mata mais fechada dessa vez. Nosso objetivo lá era o arapaçu-de-bico-torto, que alguns dias atrás já havíamos escutado no local. Essa busca tinha um apelo especial, pois não tínhamos conseguido fotografá-lo nas Missões ainda. Porém, antes de chegarmos ao exato local encontramos uma passarada em atividade... Era um bando misto, com algumas surpresas bem legais!

Tico-tico-rei (Lanio cucullatus). Foto: D. Meller.

Figuinha-de-rabo-castanho (Conirostrum speciosum) macho. Foto: D. Meller.

Sanhaçu-cinzento (Tangara sayaca), se alimentando da erva-de-passarinho, onde também estavam fim-fim e gaturamo-rei (Euphonia cyanocephala), espécies que gostam muito desse fruto.

Cigarra-bambu (Haplospiza unicolor) fêmea. Foto: Paulo B. Rodrigues.

Chegando ao local do tal arapaçu, depois de chamarmos algumas vezes, ele respondeu. E, para nossa sorte, pousou abertamente, ao menos para um rápido click. É interessante como esse arapaçu voa por entre a vegetação fechada, escolhendo muitas vezes troncos com bastante galhos onde possa se esconder.

Arapaçu-de-bico-torto (Campyloramphus falcularius). Foto: D. Meller.

Esse fragmento florestal tem rendido bons registros, e nesse dia revelou quatro espécies que não tínhamos visto em Cerro Largo ainda. Além das já mencionadas, gaturamo-rei e cigarra-bambu, também registramos a saíra-preciosa e a marianinha-amarela.

Saíra-preciosa (Tangara preciosa). Foto: D. Meller.

Marianinha-amarela (Capsiempis flaveola). Foto: D. Meller.

Depois disso fomos ao lago da UHE São José, mas já ventava bastante. A vegetação está em estágio bastante avançado de regeneração, o que é bom, mas o campo visual para procurar aves aquáticas, como o biguatinga, está bem limitado. O graveteiro também não foi encontrado, mas acabamos não investindo muito em sua procura por conta da hora avançada. Por fim, somente aves mais comuns de ambientes de capoeira foram avistadas nesse local. Consideramos que o ideal seria um passeio de barco explorando as margens do lago... Essa ideia ainda vamos amadurecer!

Balança-rabo-de-máscara (Polioptila dumicola). Foto: D. Meller.
---------------------------------------------------------------------------------
Veja também:

Ainda existe um lugar
Registros importantes em Cerro Largo
Um belo lugar para observar aves
---------------------------------------------------------------------------------

12 comentários:

  1. Parabéns amigos por mais essa exploração. 80 em um dia é impressionante mesmo, adorei a foto da maitacas e o arapaçu é um show. Abraço

    ResponderExcluir
  2. Baita post, parabéns pelo empenho!! Abração

    ResponderExcluir
  3. Parabéns , ótimo texto e belas fotos ! Que variedade de espécies !!!

    Ass.:Lucas N Porto Alegre - RS

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo post Dante! e parabéns ao grupo também! saudades das missões! grande abraço a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Miguel!! Qnd quiser apareça, grande abraço!

      Excluir