Projeto Ave Missões: Pesquisa, Educação Ambiental e Conservação com Aves da Região Noroeste do Rio Grande do Sul

terça-feira, 13 de maio de 2014

Desbravando o Noroeste: dois lugares, uma lição

* Por Charles Boufleur

No último sábado, véspera do dia das mães, o Grupo Ave Missões voltou a se reunir para uma saída a campo e o destino escolhido foi uma jornada dupla nas cidades de Bozano e Cruz Alta.

Desta vez contamos com a participação do casal Paulo e Márcia Rodrigues, acompanhados dos filhos Pedro e Felipe, Dante Meller e sua noiva Luana, e Andréia Fernanda, que no ponto de encontro na cidade de Pejuçara se juntaram aos anfitriões locais, Charles Boufleur, e ao casal Pedro e Ingrid Sessegolo.


O dia começou cedo, tendo os participantes que literalmente madrugar para pegar a estrada, contudo, o nascer do sol já anunciava o lindo dia que teríamos pela frente...


Assim que todos se apresentaram no ponto de encontro, partimos em direção ao Mato da capela, um remanescente de floresta primária, com área de cerca de 100 hectares da hoje devastada Mata do Alto Uruguai. O fragmento localiza-se no interior do município de Bozano, em terras da família Costa Bebber. O mato recebeu o apelido por possuir em seu interior uma pequena capela, onde todos os anos é realizada uma cerimônia religiosa com a presença do bispo da diocese e a comunidade local. A escolha do local já indicava a paz e o bem estar que poderia se sentir ali.

Mato da capela, no município de Bozano, noroeste do RS.

Eram pouco mais de 7:30 h quando, enfim, chegamos ao local e mesmo antes de adentrar a mata, já presenciamos uma cena um tanto incomum, um gavião-do-banhado circulando sobre o fragmento de mata, de forma muito atípica... Surpresa maior ainda e muito relevante estava reservada para os primeiros minutos em meio à mata, quando ainda de dentro do carro o Dante reconheceu a presença de um raro e pouco estudado cisqueiro. Foram momentos de grande euforia e emoção, a possibilidade de presenciar e registrar em seu habitat, empoleirado e vocalizando, essa espécie tão rara no RS. A presença do cisqueiro já indicava o quão rico em termos ambientais é esse mato, uma vez que essa ave só é encontrado em áreas bastante preservadas.

Cisqueiro (Clibanornis dendrocolaptoides).

A cada passo dado em direção ao interior deste pequeno paraíso novas encantadoras descobertas eram feitas. A vida se mostrando em suas mais diversas formas, das mais singelas e delicadas, como musgos e fungos, como na biodiversidade da flora onde se destacavam os inúmeros taquarais; incríveis e raros xaxinzais, com exemplares medindo mais de cinco metros de altura; até a imponência de árvores centenárias como as canjeranas, as grápias e os cedros. Caminhando por aquelas trilhas era possível imaginar como seria essa região do estado se o desmatamento não tivesse sido tão intenso até poucos anos atrás...

Cogumelos. Foto: Ingrid Sessegolo.

Grupo Ave Missões em Canjerana centenária.

Samambaiaçus. Foto: Ingrid Sessegolo.

Toda essa diversidade de flora trás consigo uma pluralidade de fauna que em meio aos troncos, galhos e folhas sentem-se em casa e ali vivem e se reproduzem tornando a floresta ainda mais viva e colorida.
 
Cutia no Mato da capela. Foto: Charles Boufleur.

Algumas aves interessantes que visualizamos ou ouvimos foram o cais-cais, gaturamo-bandeira, bico-grosso, tucano-de-bico-verde, tiriba-de-testa-vermelha, tovaca-campainha, choquinha-lisa, beija-flor-de-topete, cabecinha-castanha e pica-pau-dourado.

Bico-grosso (Saltator maxillosus).

Cabecinha-castanha (Pyrrhocoma ruficeps). Foto: Charles Boufleur.

Pouco antes de nos despedirmos deste belo local, uma última surpresa nos foi dada quando um simpático e pequenino patinho nos possibilitou um belo registro e fotos.

Patinho (Platyrinchus mystaceus).

Ao meio dia todos rumamos para Cruz Alta, onde após o almoço, fizemos uma bem sucedida troca de ambientes, já que agora o destino seria o banhado da Olaria Charrua. Chegamos em nosso segundo destino por volta das 14:30 h, e graças à brisa e nuvens o clima manteve-se agradável. O Banhado da olaria, assim como o Mato da capela, também mostrou ser um remanescente em ótimo estado de preservação, formado por um longo alagado coberto por capinzais, que costeia uma sanga e sua estreita mata ciliar, proporcionando recursos para aves que se alimentam de sementes.

Banhado da olaria, Cruz Alta, RS. Foto: Paulo B. Rodrigues.

Nesse local, além de rastros de animais como capivaras e veados, encontramos aves como tico-tico-rei, pia-cobra, tesoura-do-brejo, tico-tico-do-banhado, coleiro-do-brejo, azulão, tico-tico-da-taquara e sanhaçu-frade. De maneira semelhante ao que havia acontecido no local anterior, pela manhã, ao fim do dia também fomos brindados pela aparição no Banhado da olaria de um bando de veste-amarelas, que aparentemente utilizam o local para alimento e pernoite.

Tico-tico-rei (Lanio cucullatus). Foto: Ingrid Sessegolo.

Coleiro-do-brejo (Sporophila collaris). Foto: Paulo B. Rodrigues.

Coleiro-do-brejo (Sporophila collaris). Foto: Felipe Rodrigues.

Bando de veste-amarelas (Xanthopsar flavus). Foto: Charles Boufleur.

Dois locais novos para o Grupo Ave Missões visitar... locais completamente distintos em suas formações, mas com lições em comum. Um remanescente florestal ilhado em meio ao cultivo agrícola, mas recheado com uma diversidade biológica que abriga espécies ainda pouco conhecidas no estado, como o cisqueiro; e um extenso banhado (um ecossistema especialmente ameaçado pelo avanço das lavouras, com drenagem de áreas úmidas ou queima de sua vegetação), capaz de abrigar inúmeras espécies de aves e animais, e capaz de abrigar centenas de veste-amarelas.

Foram 70 espécies observadas no dia e 10 participantes nas passarinhadas... um dia realmente incrível... (Confira no vídeo da saída a campo!)

Será que as gerações futuras terão o privilégio de passar um lindo dia cercado de amigos e descobrindo as belezas da nossa terra. Esperamos que sim! Esperamos que a consciência humana volte-se mais à preservação e contemplação, isso faz amigos e fará a diferença!

---------------------------------------------------------------------------------
Veja também

---------------------------------------------------------------------------------

4 comentários:

  1. Parabens a todos. Muito bom. Foi um grande prazer ter estado junto com voces e feliz por tudo ter dado certo. Pedro

    ResponderExcluir
  2. Tudo muito bom, mas o vídeo... ... superou todas as expectativas ... DEZ !!!

    ResponderExcluir
  3. Mais um lindíssimo post do grupo! parabéns a todos!!

    ResponderExcluir
  4. Este fragmento florestal é lindo , pena que cada vez mais é raro encontra-los sem ação humana,lixo...
    Parabéns,as fotos estão lindas
    Ass:Lucas N

    ResponderExcluir